Uma situação inusitada durante o programa “Altas Horas”, da Globo, levou a sexóloga Laura Muller a fazer um importante alerta sobre relacionamentos entre adultos e adolescentes, ao ser pedida em namoro por um rapaz de 16 anos, que estava na plateia.

Durante o quadro do qual ela participa respondendo às dúvidas dos adolescentes, um deles, chamado Pedro, disse que não tinha uma pergunta e, sim, um pedido. “Você é muito mais bonita pessoalmente. Sei que você é muito experiente nesse assunto, eu sou um mero aprendiz, 16 anos ainda. Você não gostaria de namorar comigo e me passar um pouco de experiência?”, perguntou.

Resposta de Laura Muller

Levando inicialmente na brincadeira, tanto Laura como o apresentador Serginho Groismann deram risadas da situação, mas logo ela fez questão de esclarecer que não era possível que uma relação assim desse certo. “Pedro, eu tenho 46 anos e você tem 16. É uma diferença muito grande e cada um precisa ficar em uma praia. É bacana namorar, transar e ter as experiências e os aprendizados com 16, então, cada um na sua praia funciona muito mais. O que estou querendo dizer é que o bacana dos aprendizados não é dar um salto lá para frente. É descobrir junto”, disse.

Serginho interrompeu a resposta algumas vezes e tentou brincar, dizendo que o garoto queria frequentar a praia de Laura e descobrir junto com ela. Mas ela foi enfática. “Não dá. Nem comigo nem com alguém da minha idade, porque essa diferença não é legal. A adolescência precisa ficar na adolescência. E a gente tem uma questão que adulto fazer sexo com adolescente é um crime no nosso país, se chama pedofilia”, finalizou.

O que é pedofilia

A resposta dada por Laura toca em um tema polêmico. Segundo classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS), a pedofilia é um transtorno mental que faz com que adultos se sintam atraídos sexualmente por crianças. Mas nem todo pedófilo é um abusador, já que o primeiro diz respeito ao desejo e o segundo às atitudes. São situações que podem ocorrer juntas ou não.

No Brasil, segundo o site do Ministério Público Federal, o código penal considera crime apenas os casos em que uma das partes tem mais de 16 anos e a outra tem menos de 14 anos. Isso vale tanto quando a prática sexual acontece, o que é considerado estupro de vulnerável, quanto o armazenamento de fotos, vídeos ou outros registros pornográficos envolvendo crianças e adolescentes. Dependendo do caso, a pena pode chegar a até 15 anos de prisão.

Assim, o que aconteceu no “Altas Horas”, seria legalmente aceito, já que o rapaz tem 16 anos. No entanto, os relacionamentos entre um adulto e um adolescente, especialmente quando menor de 18 anos, ainda que consentido, pode ser problemático, já que envolve alguém muito mais experiente, o que eventualmente pode levar a situações de abuso.

Como identificar um pedófilo

O mais difícil em relação aos crimes de pedofilia é identificar o criminoso, já que os pedófilos costumam ser pessoas respeitadas e simpáticas. Outra característica é que a grande maioria conhece suas vítimas e tem uma relação próxima com elas, o que faz com que ninguém desconfie que possa estar acontecendo algo a mais. Em casos de denúncia, todos eles costumam negar e afirmar que são inocentes.

Para os pais, é importante observar o comportamento dos filhos e identificar alguns indícios de que foram vítimas de abuso, como muito medo o tempo todo, reações negativas, choro excessivo e crises nervosas. Além disso, é fundamental ter atenção ao que os filhos fazem na internet, já que esse tem sido um meio muito usado pelos criminosos, que aproveitam as redes sociais ou salas de bate-papo para se aproximarem de crianças e adolescentes.

As principais dicas para evitar que eles sejam vítimas de pedofilia na internet é nunca divulgar informações pessoais como endereço, telefone, escola, entre outros. E procurar sempre manter um diálogo aberto e claro, com uma linguagem adequada para cada faixa etária dos filhos, para que cresçam orientados e mais seguros.

Fonte: Bolsa de Mulher