Aqueles secadores de mãos que funcionam com ar quente são mais higiênicos porque você não precisa tocar em nada e, consequentemente, não entra em contato com nada capaz de contaminar sua mão que acabou de ser lavada, certo? Não necessariamente. Um novo estudo mostrou que a opção mais “limpinha” seria usar papel para se secar. Entenda por que eles estão dizendo isso.

Um recente estudo, realizado por pesquisadores da Universidade de Westminster, que fica em Londres, mostrou que os secadores de mãos que disparam jatos de ar quente são capazes de espalhar vírus, como o H1N1, e bactérias por todo o ambiente ao seu redor.

Eles descobriram isso depois de pedir aos participantes da pesquisa para que usassem luvas e passassem uma solução líquida contendo o vírus MS2 em suas mãos. Depois disso, eles deveriam secar as mãos usando toalhas de papel, máquinas de ar quente ou secadores com jatos de ar (aqueles que são mais fortes e secam mais rápido as mãos, que devem ser colocadas dentro deles).

Ao final do experimento, eles chegaram à conclusão que enxugar as mãos com papel espalha os micro-organismos, como o vírus causador da gripe H1N1, por até 25 cm, enquanto usar a máquina de ar quente faz com que vírus e bactérias atinjam uma área de 75 cm e a máquina de jatos de ar impulsiona esses agentes a até 3 metros.

Faz mesmo sentido? 

A infectologista Karen Morejón, membro da Sociedade Brasileira de Infectologia, explica que o estudo possui algumas limitações. Uma delas é o fato de ter sido encomendado pela Associação Alemã da Indústria de Papel, o que mostra que pode haver um conflito de interesses na realização do estudo.

Outro ponto está na quantidade de micro-organismos adicionado às luvas do teste, que seria superior ao montante que estaria presente em mãos que acabaram de ser adequadamente lavadas.

Quais seriam as consequências? 

De acordo com a médica, o espalhamento de vírus e bactérias pelo ambiente, se realmente acontecer dessa maneira, seria menor caso as mãos enxugadas estivessem limpas depois de uma boa higiene. Apesar disso, sempre que houver vírus e bactérias em um ambiente, as pessoas que ali circulam estarão suscetíveis a algum tipo de contaminação.

Fonte: Bolsa de Mulher