Olhar para outra mulher com solidariedade e sentimento de amizade. Não é para complicar as relações humanas, mas para trazer mais integração entre nós que existe a palavra sororidade. Você já ouviu falar? Sabe o que significa? Se não, você não deve ser a única, mas descobrir o que ela é poderá transformar suas relações e até sua vida.

Este é um conceito pouco utilizado ainda em nossa sociedade, mas que, certamente, você já aplicou na sua vida sem saber. O Bolsa de Mulher te explica hoje tim-tim por tim-tim o que quer dizer essa palavra estranha e te dá todos os motivos para você acrescentá-la agora no seu dia a dia.

Sororidade: o que é 

Esqueça a ideia de que mulheres sempre são rivais e que disputam a qualquer custo a atenção dos homens, o cargo na empresa, a coroa de rainha do baile.

Sororidade é um substantivo com o significado exatamente oposto a esses paradigmas. Ele representa a união entre mulheres em várias dimensões da vida e reflete de maneira exata a expressão “não somos concorrentes, somos irmãs”.

Algumas pessoas associam o conceito de sororidade ao de fraternidade que, no dicionário, é definido como “convivência harmoniosa e afetiva entre as pessoas”.

Mesmo que seja comum usarmos a fraternidade em um sentido de identificação de “irmandade” para todas as pessoas, fato é que o termo, por vezes, é apropriado por uma cultura masculina.

Sobra a nós, mulheres, expandirmos o conhecimento – e a prática – da sororidade no nosso meio sociais. E, fica um adendo: esta palavra ainda não está no dicionário da língua portuguesa, o que institucionaliza a ausência de identificação deste verdadeiro e possível comportamento.

Como praticar e por que é fundamental fazê-lo? 

Queiramos ou não, estamos acostumadas a crescer e pensar dentro de uma “caixinha machista”, cercada por preconceitos e padrões de comportamento.

Quantas vezes escorregamos e julgamos outra mulher pelo seu jeito de vestir, falar ou se relacionar?

Muitas vezes algumas dessas alfinetadas são resultado de uma visão deturpada e inconsistente de que somos inimigas e não temos capacidade de sermos solidárias umas com as outras. No fundo, todo esse papo é influenciado pelo retrógrado discurso “mulher não é amiga de verdade de outra mulher”.

Vale uma reflexão: quando uma mulher erra uma baliza, você comenta “só podia ser mulher”? Se alguém usa uma roupa muito curta, você faz questão de chamá-la de vagabunda?

Pois, antes de repetir esses julgamentos de novo, vale lembrar que todas nós já sofremos muito com a objetificação e sexualização dos nossos corpos, com os padrões inatingíveis de beleza e, de maneira geral, com as disparidades de gênero.

A mulher já é constantemente colocada como mais incapaz que os homens, mais vulgar que os homens, e tem seu papel no mundo sempre questionado ou limitado. Por que endossar esse discurso?

Sororidade significa que você será mais forte 

Outro motivo para você acreditar e apostar na sororidade é o fato de que quando você atinge uma mulher também atinge a si mesma.

“A gente ‘desempodera’ muito a mulher que está a nossa volta – e temos que aprender que, assim, estamos nos ‘desempoderando’ também”, avalia a criadora do movimento Vamos Juntas? e autora do livro “Vamos juntas? – O guia da sororidade para todas”, Babi Souza.

“A sororidade não traz o conceito de que devemos amar todas as mulheres, mas que não podemos odiar as mulheres pelo simples fato de elas serem mulheres”.

Convidamos você a experimentar a sororidade. Que tal se solidarizar com as mulheres ao seu redor e criar laços genuinamente femininos, ao invés de brigarmos umas com as outras?

Fonte: Bolsa de Mulher