Não é forte e tampouco ruim: o cheiro que emana da vulva e da vagina é único, assim como tudo que acontece no sistema reprodutivo feminino. Por liberar secreções importantes para manter o canal vaginal livre de agentes infecciosos, o odor é característico. Você deve conhecê-lo para perceber quando ele estiver diferente, o que pode estar relacionado a infecções.

Como é o cheiro normal da vagina 

A ginecologista Flávia Fairbanks, de São Paulo, explica que a região íntima feminina pode não ter cheiro algum ou liberar um odor levemente ácido. Isso acontece porque as bactérias da vulva e vagina são prioritariamente do tipo lactobacilo, que produz ácido lático. Portanto, um odor que lembre cândida também é normal.

Cheiro ruim na vagina: o que pode ser? 

Caso o odor fique mais forte, é possível que você esteja com algum tipo de infecção vaginal. O cheiro fica mais acentuado em função da mudança da secreção, que fica “se fortalece” para combater o agente invasor, dando origem também a corrimentos.

Já o cheiro de peixe podre, que também pode surgir, é sinal de vaginose, uma infecção causada pela bactéria Gardnerella vaginalis, que também gera corrimento acinzentado e leitoso.
Caso você perceba que o odor da sua vagina está diferente, vá à ginecologista para ter o diagnóstico e tratamento corretos.

Fonte: Bolsa de Mulher