Você costuma prestar atenção à música ambiente que toca nos locais em que frequenta? Provavelmente não, mas, ainda assim, o som tem mais influência do que você imagina e pode, inclusive, te incentivar a gastar mais dinheiro.

Chamada popularmente de “música de elevador”, os sons ambientes surgiram justamente quando os primeiros elevadores começaram a ser utilizados e tinham como objetivo acalmar as pessoas que o usavam, já que o aparelho ainda parecia inseguro e desconhecido. Hoje em dia, mais do que acalmar, o uso “psicológico” das músicas é usado para ganhar dinheiro.

Ao menos é o que afirma o professor de Música e Psicologia da Universidade de Curtin, na Austrália. “Lojas e restaurantes conseguem usar música como forma de influenciar o público e aumentar as vendas”, explicou em entrevista ao site BBC. Ele chegou a essa conclusão depois de estudar o comportamento de clientes em restaurantes. De acordo com o professor, quando a música ambiente é clássica, as pessoas tendem a gastar mais dinheiro do que quando o que toca é música pop.

Em outro experimento semelhante, ele concluiu que a música pode alterar a percepção das pessoas sobre o sabor das comidas e bebidas: os vinhos, por exemplo, pareceram mais doces aos clientes que ouviam músicas suaves e melódicas. Por outro lado, o mesmo vinho parecia mais forte para quem ouvia músicas pesadas e agitadas no momento da degustação.

Por outro lado, pesquisadores da Universidade de Rutgers, nos Estados Unidos, concluíram que a música não impacta diretamente no comportamento do consumidor, mas que pode, sim, encorajar pessoas que já gostam de comprar a consumir ainda mais. O estudo relatou o comportamento de compradores em um shopping no Canadá, que se mostraram mais dispostos a passar mais tempo dentro da loja quando a atmosfera era agradável, principalmente no quesito barulho: quanto melhor a música, maior a disposição para as compras.

5 dicas para não errar (e se arrepender) nas compras

Fonte: Bolsa de Mulher