Unidade de Saúde na Praça Ouvidor Pardinho teve fila (Foto: Paola Manfroi / RPC)
O primeiro dia de vacinação da campanha contra a gripe no Paraná teve filas nas unidades de saúde de Curitiba. Até as 16h30 desta segunda-feira (25), 13. 064 pessoas já tinham recebido a dose da vacina em todo o estado, de acordo com o Ministério da Saúde.

Dois milhões de pessoas devem ser imunizadas contra a gripe durante a campanha de vacinação no Paraná. Idosos, crianças de seis meses até cinco anos incompletos, gestantes e mulheres com pós-parto de até 45 dias, além de portadores de doenças crônicas poderão tomar a dose de graça nas unidades de saúde.

A campanha também atinge outros públicos de risco como trabalhadores de saúde, população indígena e detentos do sistema prisional. O índice de imunização corresponde a 80% do público alvo.

A vacina demora pelo menos duas semanas para fazer efeito e é eficaz contra três tipos do vírus da gripe que mais circulam no país, como o Influenza A H1N1, Influenza A H3N2 e Influenza B. Em adultos, a dose é única, já para as crianças são aplicadas duas doses.

Um boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), na terça-feira (19), apontou que desde janeiro de 2016, o Paraná já tinha registrado 103 casos de Influenza, dos quais 78 são de gripe A (H1N1). Idosos podem tomar a vacina gratuitamente (Foto: Paola Manfroi / RPC)
A Sesa também confirmou três novos óbitos por gripe A no estado totalizando cinco desde o início do ano.

As mortes ocorreram em Foz do Iguaçu, Quitandinha, Umuarama, Maringá e São José dos Pinhais.
Os sintomas da gripe H1N1 são parecido com o da gripe comum e podem incluir febre, tosse, garganta inflamada, dores no corpo, dor de cabeça, calafrios, fadiga, diarreia e vômito.

Para se proteger, a indicação é a prevenção. Tomar a vacina, lavar sempre as mãos com água e sabão e andar com álcool gel.

Também é importante deixar os ambientes ventilados. Diferenças entre vírus A e vírus BExistem algumas diferenças entre os vírus da gripe A e B.

O vírus A causa epidemias e está em humanos e em outros animais. Ele também sofre muitas mutações, é instável e a cada sete anos as alterações podem gerar grandes epidemias.

O vírus A também atinge todas as faixas etárias. Já o vírus B causa surtos localizados, está apenas em humanos e afeta mais crianças.

Mais de 13 mil já tinham tomado a vacina no Paraná até as 16h30 desta segunda-feira (25) (Foto: Paola Manfroi / RPC)
.