Foram encontradas drogas, telefones e carregadores pelos agentes penitenciários nas celas do presídio de Guajará-Mirim (RO). Nenhum detento assumiu ser dono dos objetos. (Foto: Junior Freitas/G1)
Agentes penitenciários apreenderam vários objetos na última quinta-feira (14), nas celas do presídio masculino de Guajará-Mirim (RO), a cerca de 330 quilômetros de Porto Velho.

Durante a ação, os servidores encontraram seis celulares, dois chips, dois carregadores, um carregador artesanal, oito trouxinhas de droga e duas joias durante uma revista geral nos pavilhões da unidade. Nenhum preso assumiu ser dono dos objetos apreendidos.

Conforme as informações oficiais do boletim de ocorrência registrado por um dos agentes, a ação foi realizada por volta das 14h. Durante o procedimento de rotina os servidores encontraram os objetos nas celas B4, C4, C2, A2, A3 e também no espaço reservado ao banho de sol dos apenados.

Após a apreensão, tudo foi encaminhado à Delegacia Regional de Polícia Civil do município para ser periciado. A Polícia Civil está investigando o caso.

Na manhã de quinta-feira, os agentes já haviam apreendido cinco celulares com baterias e três chips numa sacola que foi jogada em cima do prédio do banho de sol dos pavilhões B e C. Ao G1, um agente penitenciário que prefere não se identificar, disse que os objetos são arremessados por cima do muro da unidade e que as apreensões são feitas com frequência.

“Eles sempre dão um jeito para entregar aos apenados. Geralmente eles jogam pela parte de trás do prédio.

Às vezes recebemos denúncias anônimas que os detentos estão fazendo ligações e vamos direto às celas verificar. Ou então durante as revistas de rotina, como foi o caso dessa última apreensão”, explicou o servidor.

.