Agentes ambientais mirins receberam formação didática em Macapá (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
Cerca de 150 crianças da rede municipal de ensino, entre 5 e 12 anos, iniciaram uma formação para atuar nos bairros onde moram contra criadouros do mosquito Aedes aegypti, em Macapá. Uma programação com palestras, teatro e jogos envolveu os agentes ambientais mirins na manhã desta quarta-feira (27), no auditório do Sesc Araxá, na Zona Sul. Crianças vão atuar no combate ao mosquito Aedesaegypti (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
“Eles que vão levar para o futuro o que aprendem aqui.

Sentimos a falta de informação no combate ao mosquito. A gente precisa deixar essa educação ambiental para eles, de combater os criadouros do Aedes, de descarte e até reciclagem do lixo.

O que eles aprendem aqui, vão levar para os colegas da escola e depois para casa”, falou a chefe da divisão de ensino fundamental, Jacileide Miranda.
De acordo com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), uma criança de cada turma das escolas municipais se tornou agente ambiental mirim para participar do projeto.

Entre as tarefas estão identificar as casas dos alunos com selos ambientais que informam que a residência está livre do Aedes, se está suja e com riscos de surgir criadouros ou se já possui criadouros do mosquito.
As próprias crianças também vão receber selos ao cumprirem as tarefas de preservação ambiental.

O trabalho com os alunos, que faz parte do projeto “Macapá mais bonita, sem dengue e sem zika”, conta com apoio de agentes de endemias do município e acontecerá até o segundo semestre de 2016.
.