Aeroporto de Fortaleza (Foto: André Teixeira/G1)
Foi aprovado nesta quarta-feira (20) pela Assembleia Legislativa do Ceará o projeto de lei do Poder Executivo que estabelece a isenção do ICMS, incidente em operações e prestações relacionadas com a construção, instalação e funcionamento do hub da Latam – empresa resultado da fusão das empresas Lan Chile e Tam – em Fortaleza. A matéria foi aprovada com 38 votos favoráveis e um contrário.
“A aprovação, quase unânime, já era esperada pelo Governo do Estado.

Essa é mais uma prova que o Ceará é o estado mais capacitado para receber esse empreendimento que vai ter um impacto positivo enorme na nossa economia, com considerável geração de emprego e impulso no comércio, indústria e, sobremaneira, no trade turístico”, acredita André Facó, secretário da Infraestrutura do Estado.
As negociações entre o Governo do Ceará e a Latam para instalar o centro de conexão de voos começou em abril de 2015 e seguem com reuniões de trabalho sistemáticas entre representantes do executivo estadual e a companhia aérea.

“O Ceará trabalha com um plano de ação em cima de cada gargalo apresentado pelo estudo da Arup, que é a consultoria contratada pela própria Latam para realizar estudos nos três estados com possibilidade de abrigar o Hub. Isso demonstra para a empresa, com prazos e atividades, que os obstáculos apontados são plenamente solucionáveis”, esclarece Facó.

As cidades de Recife e Natal também estão na disputa. A decisão deveria ter saído até o fim do ano passado, mas acabou adiada para 2016.

Impacto na economiaDe acordo com estudo feito pela Latam, serão gerados cerca de 35 mil empregos diretos e indiretos até 2018, além de crescimento de 6% do PIB cearense, o que representa impacto de R$ 9,9 bilhões na economia do Estado num período de cinco anos de operação do equipamento. Mais de um terço do impacto econômico (39%) virá dos setores de transporte e armazenagem, outros 17%, do setor de atacado e varejo, e 12% dos setores de hotel e alimentação.

O estudo mostra, ainda, que 29% dos empregos gerados virão nos setores de transporte e armazenagem, 29% de atacado e varejo, e 12% de hotéis e alimentação. Os novos visitantes que chegarão à capital cearense trarão, no segundo ano de operações, um valor estimado de US$ 287 milhões anuais em gastos adicionais com turismo, considerando US$ 1.

714 de gasto por passageiro. Adicionalmente, os gastos dos visitantes projetam a geração de 18,9 mil empregos por ano.

Outro estudo feito pela consultoria Arup, a pedido da Latam, estima ainda que o hub em Fortaleza movimente, a partir de 2018, dois milhões de passageiros adicionais por ano, em 24 aeronaves operadas diariamente (entre 2. 500 e 3.

000 passageiros na hora-pico). Em 2038, o número de passageiros deverá chegar a 3,2 milhões por ano, em 36 aeronaves operadas diariamente (mais de 4.

000 passageiros na hora-pico).
“Estamos cada vez mais confiantes que o Ceará é a melhor opção para a instalação do hub e por isso, certos da escolha do nosso estado para receber o empreendimento”, conclui André Facó.

.