Pentecostes foi celebrada no bairro do Dique Estrada, em Maceió (Foto: Lucas Leite/G1)
A Igreja Católica deu início, no fim da tarde deste sábado (14), ao Encontro de Pentecostes, que neste ano está sendo celebrado no antigo papódromo, no Dique Estrada, na periferia de Maceió. Milhares de fiéis ficarão em vigília no local até o amanhecer do domingo (15).
Segundo a tradição, foi nesse período que os apóstolos de Jesus Cristo foram visitados pelo Espírito Santo.

O terreno do papódromo, que vai abrigar o Santuário da Divina Misericórdia São João Paulo II e Irmã Dulce dos Pobre, foi escolhido, segundo a igreja, por conta do convite feito pelo papa Francisco, com o Ano do Jubileu da Misericórdia, iniciado em dezembro de 2015, e que se encerrará em novembro deste ano. Ao fim desse período, será inaugurado no local a “Porta da Misericórdia”.

“É a partir desse pôr do sol, que já se anuncia o Pentecostes. É com o mesmo medo dos apóstolos, nesse entrancafiamento que iremos iniciar a Vigília e ficaremos até a manhã do domingo, quando celebraremos a Missa de Envio.

É como se estivéssemos no cenáculo, as portas se abrem, todo o povo ficará atento, e depois a gente sai com a missão da evangelização”, explica frei Antônio Muniz Fernandes, arcebispo metropolitano. Católicos lotam para celebração religiosa no DiqueEstrada (Foto: Lucas Leite/G1)
O arcebispo de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes, foi designado para celebrar a missa de Pentescostes.

Ele explicou a importância da data para os católicos. “É o dia que marca a fundação da igreja.

Uma data muito importante para os católicos”.
Benedito Pereira, de 34 anos, também esteve presente no evento.

Ele afirma sempre vai as celebrações cristãs. “Eu sempre venho.

A Pentecostes para o cristão significado o dia que a igreja tomou força, com o poder do Espírito Santo. São 50 dias após a ressureição de Cristo”.

Além dos atos de celebração de fé, várias pessoas aproveitaram a movimentação para obter um lucro a mais, e fazer a divulgação de vários produtos, todos ligados à igreja. Foi o caso de Valéria Tenório, de 45 anos, que levou um stand da “Tenda da Maria” ao local.

“Todo ano que tem Pentecostes eu trago um stand para mostrar e divulgar os produtos, faço isso há 15 anos. Estamos vendendo desde terços, adereços e livros.

Os produtos variam de R$ 1,50 a R$ 4,50. A expectativa é que as vendas sejam boas”, diz Valéria.

Valéria Tenório aproveita a movimentação para vender produtos católicos (Foto: Lucas Leite/G1)
.