Revista encontrou diversos celulares nas celas(Foto: Kleyton Anderson/ Arquivo pessoal)
Militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o Grupo de Escolta, Remoção e Intervenção Tática (Gerit) realizaram uma vistoria no Presídio Baldomero Cavalcanti de Oliveira e na Casa de Custódia, conhecida como Cadeião, onde houve um motim no fim de semana. Foram encontrados 15 aparelhos celulares, 17 carregadores e duas serras.
A confusão no presídio aconteceu por volta do meio-dia de sábado (14).

Os presos de um dos módulos do Cadeião atearam fogo a colchões em protesto contra a suspensão das visitas provocada pela greve dos agentes penitenciários. Um vídeo gravado por agentes mostra a confusão (Veja no final do texto).

De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Alagoas  (Sindapen), Kleyton Anderson, cerca de cinco celas do Cadeião ficaram danificadas após a confusão do fim de semana.   Até que o conserto nas celas seja realizado, 105 presos tiveram que ser transferidos para o Presídio de Segurança Máxima (PSM).

“Eles quebraram muita coisa, por isso foi preciso fazer a remoção, senão eles ficariam no pátio. Mas essa transferência é temporária, só até acontecer os reparos das celas, aí eles voltam para o módulo no Cadeião”, informou o presidente do Sindapen.

O Cadeião tem dois módulos com capacidade para pouco mais de 200 presos cada um, mas, segundo Kleyton Anderson, abrigam quase 700  ao todo. “É uma situação bastante difícil, o presídio está sempre lotado”.

A assessoria da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) confirmou a vistoria, mas informou que é um procedimento de rotina, principalmente em casos de motim. Sobre a apreensão de materiais ilícitos, a secretaria informou que houve flagrante no Baldomero, mas não soube precisar de quais objetos.

A secretaria tambem não soube informar sobre o material ilícito encontrado no Cadeião.
.