Agressor entregou cadela à Polícia Militar  (Foto:Polícia Militar/Divulgação)
A cadela Mel, que foi agredida a pauladas, enforcada pelo dono e dada como morta no último dia 5 de abril em uma comunidade de Oliveira, está viva. A afirmação é do cabo Leonel, da Polícia Militar (PM). Segundo o militar, o próprio agressor foi quem entrou em contato com a polícia e levou a cachorra até a sede do quartel.

O homem relatou que ela apareceu viva na casa dele após três dias do ocorrido. “Foi uma surpresa para todos.

De fato um milagre”, destacou o cabo. O G1 tentou contato por telefone com o agressor para saber mais informações da atitude, mas as ligações não foram atendidas.

Cadela enforcada por funcionário de fazenda(Foto: Wanderson Reis/Divulgação)Dada como mortaO caso comoveu moradores da região após as imagens terem circulado na internet e aplicativos. Nelas, o dono da cadela aparece enforcando o bichinho com uma corda.

Na ocasião, a Polícia Militar de Meio Ambiente (PMMA) teve acesso às imagens e o autor foi conduzido à delegacia para prestar depoimento. O G1 não divulgou o vídeo porque as imagens são fortes.

Wanderson Reis, de 33 anos, é o operário que presenciou e filmou os maus-tratos. Por telefone, ele contou ao G1 detalhes de como o animal teria sido morto.

“Minha ação no momento foi filmar para depois o agressor ser responsabilizado por essa crueldade”, destacou. A cadela foi agredida a pauladas e enforcada com cordas pelo dono, que é um trabalhador rural.

Wanderson disse que trabalhava na fazenda há três dias na montagem de galpões e que no momento em que ele e mais dois funcionários estavam no local o funcionário da fazenda chegou e pediu um pedaço de pau. Ele caminhou ao redor da estrutura que estava sendo montada e pegou um pedaço de madeira.

Sem dizer nada, deu duas pauladas na cadela.
Os funcionários se assustaram e perguntaram porque ele agredia a cachorrinha.

A justificativa foi que ela estava no cio e que havia latido muito na noite anterior. “Na hora que a cachorra foi agredida com as pauladas ela correu para debaixo de um caminhão, mas o homem continuava irritado e a pegou ela pelo rabo.

Arrastou até uma estrutura metálica pegou duas cordas e enrolou no pescoço dela”, contou.
O operário disse que tentou conversar com o trabalhador rural, mas ele continuou.

“Ele pendurou a cadela e começou a puxar e a enforcar. Ficamos perplexos.

Na hora foi muito difícil, a gente só tentava impedir conversando, mas ele não manifestava dó ou interesse em parar”, lembrou.
Wanderson contou, ainda, que o agressor retirou a cadela da estrutura e a arrastou para uma mata.

Minutos depois ele voltou, lavou as mãos e foi embora. “Sem saber como agir eu comecei a passar esse vídeo pra todo mundo que eu conhecia”, finalizou.

Cadela Mel sobreviveu à agressões (Foto: Polícia Militar/Divulgação)Versão confirmada pela políciaToda versão do operário foi confirmada pela Polícia Militar, de acordo com depoimentos do próprio agressor. “Ele conta que agrediu a Mel e que quando pensou que ela estava morta, jogou o suposto corpo em um barranco de cerca de cinco metros.

Em seguida foi embora. Inclusive no dia da prisão dele levou os militares ao local, porém o corpo da cadela não foi encontrado no barranco”, relatou o cabo Leonel.

Após Mel retornar à casa do dono, foi cuidada com medicamentos. “Ele disse que cuidou dela e só contou à polícia agora porque estava com medo da reação das pessoas.

Ele nos pediu orientações e nós buscamos opiniões com as ONGs de proteção animal da cidade, que estavam cientes do fato. Eles orientaram que ele entregasse a cadela no quartel para serem tomadas as devidas providências”, explicou o militar.

Veterinária explica sobreviênciaSegundo a veterinária Francyane Moura, é possível que a Mel tenha sobrevivido pelo fato de as agressões não terem afetado o sistema nervoso dela. “Apesar da gravidade das agressões, na hora que ela teve a falta de oxigenação cerebral por conta da asfixia do enforcamento, ela desmaiou e isso garantiu a sobrevivência dela, já que o homem cessou as agressões pensando que ela havia falecido”, explicou.

Final felizSegundo o cabo Leonel, a cadela será adotada pelo ex-patrão patrão do agressor, que soube do caso. “Na segunda-feira (18) ela já será entregue a essa pessoa, que demonstrou interesse em adotá-la.

Por enquanto ela está comigo, na minha casa”, finalizou Leonel. Cadela Mel (Foto: Marcelo Praxedes/Divulgação)
.