Uma audiência pública que havia sido marcada para discutir questões relacionadas à saúde na Câmara Municipal de Imperatriz, a 626 km de São Luís, foi adiada pela a falta de representantes da Prefeitura da cidade e acabou gerando reclamações, principalmente, entre os servidores que trabalham na área.
Além dos servidores da Saúde, estiveram também presentes vereadores e autoridades do Ministério Público do Maranhão (MP-MA). Entre os assuntos que seriam debatidos, destaque para as reivindicações dos servidores da saúde como a defasagem dos salários, aumento dos benefícios, trabalho noturno, periculosidade, entre outros direitos que não estão sendo garantidos pela Prefeitura de Imperatriz.

A técnica em enfermagem Janete Santos revela que no ano de 2014 todos os profissionais ficaram sem receber remuneração. “Em 2014 nós ficamos sem aumento.

Em 2015 ele deu dez por cento e esse ano ele não sentou com a gente pra dar as nossas reivindicações no nosso salário e todo mundo sabe que a crise é no Brasil inteiro, mas ele tem que sentar e vê que nós também precisamos”.
O promotor de Justiça da Saúde, Newton Belo Neto, explica que o a insatisfação dos profissionais, os sérios problemas estruturais e de higiene dos hospitais públicos da cidade podem interferir diretamente na recuperação dos pacientes.

“Porque o servidor que não tem os seus direitos devidamente observados não vão poder oferecer um serviço de saúde de qualidade à população”, finalizou.
A Prefeitura não se pronunciou sobre a falta de representante na audiência e nem sobre as reclamações dos servidores.

Servidores dea área da Saúde estiveram presentes na Câmara Municipal de Imperatriz (Foto: Reprodução/TV Mirante)
.