Vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti (Foto: Divulgação/Pixabay)
Canindé, Quixeramobim e Caridade, no interior do Ceará, são as cidades do Estado com maiores infestações do Aedes aegypti, segundo estudo divulgado nesta quinta-feira (5) pela Secretaria da Saúde. Os dados têm como base o Índice de infestação predial, o número de estabelecimentos visitados com focos do mosquito.
CIDADES COM MAIOR INFESTAÇÃODE AEDES AEGYP´TI NO CEARÁ
CIDADE
ÍNDICE DE INFESTAÇÃO
Canindé
16
Quixeramobim
15,2
Caridade
13,3
Boa Viagem
12,7
Caririaçu
12,6
Apuiarés
11,4
Tejuçuoca
10,5
Parambu
9,5
De acordo com o estudo, Canindé, no Sertão Central, tem índice 16; em seguida aparecem Quixeramobim (15,2), Caridade (13,3) e Boa Viagem (12,7).

Na outra ponta da tabela, nove cidades aparecem com índice zero: Icapuí, Itaiçaba, Jaguaribe, Mucambo, Pacujá, Santana do Acaraú, Ibiapina, Jucás e Quixelô.
A pesquisa mostra ainda que a maior parte (50,1%) dos focos do mosquito transmissor da dengue zika e febre chikungunya ocorrem caixas de água ligadas à rede, como depósitos elevados.

O segundo ponto gerador de criadouros mais comum são depósitos no solo, como barril, tambor, tanque e poço. Lei permite entrada forçadaA Prefeitura de Fortaleza dará início, na semana passada às vistorias forçadas em imóveis fechados para buscar e combater possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, febre chikungunya e zika vírus.

Um imóvel no Bairro Vicente Pinzón será o primeiro contemplado com a ação, que visa combater os índices de infestação no bairro.
De acordo com o titular da Secretaria Regional II, Cláudio Nelson Brandão, o proprietário do imóvel foi notificado inúmeras vezes e não atendeu a solicitação da Prefeitura.

“A Secretaria Regional II tentou contato com o proprietário do imóvel, além de notificá-lo. Buscamos o mesmo em seu atual endereço e não obtivemos êxito.

Então, devido à ausência de resposta, iremos atuar no local”, afirmou Nelson Brandão. Estudo mostra locais onde os focos do Aedes aegypti são mais comuns no Ceará (Foto: Governo do Estado/Divulgação)
.