Abandonado, cão aguarda retorno dos donos na porta de casa (Foto: Fernando Brito/G1)
A história de um cachorro comoveu os vizinhos de uma das ruas do bairro Acarape, Zona Norte de Teresina. Apelidado carinhosamente como Bidú, o cão aguarda na porta de casa, há mais de um mês, o retorno dos antigos donos que mudaram para outro lugar e deixaram o cão abandonado na rua. Fraco e debilitado, os vizinhos se sensibilizaram com o caso e decidiram ajudar o animal, oferecendo a ele o que comer e beber.

Fraco e debilitado, Bidú recebe ajuda dos vizinhos(Foto: Fernando Brito/G1)Ismênia Noleto e Nayana Greyci fazem apelo paraque adotem animal (Foto: Fernando Brito/G1)
Um desses vizinhos é Ismênia Noleto, que publicou em sua rede social um apelo. Sem condições de criar o animal por já ter três cachorros em casa, ela pede que as pessoas se sensibilizem com o estado de Bidú e adotem o cão.

Conforme Ismênia, os antigos donos do animal eram vizinhos dela, mas segundo ela, a família não se socializava com os outros moradores. Ela disse também que eles foram embora sem levar o cão.

Dias depois, Bidú foi visto pelos vizinhos vagando pela rua e, na maioria das vezes, parado olhando para a porta do antigo lar. “As pessoas precisam estar mais sensíveis em relação a isso.

Se você não tem condições de criar um animal de estimação, não se comprometa. O bichinho se apega à família.

O Bidú é um exemplo de que os animais também têm sentimentos. Nós vizinhos ajudamos no que podemos.

Damos água, comida, mas ele precisa de um lar, de uma família”, contou. Quem também ajuda o cão como pode é Nayana Greyci Lustosa.

Sem condições de também cuidar do animal, ela disse que o cachorro é muito dócil e carinhoso. “Todos os dias ele me acompanha até a academia.

É muito dócil e manso. Quando os últimos donos cuidavam dele, a gente via que ele era muito robusto e forte.

Só que depois que foi abandonado, ele ficou fraco e debilitado. É triste ver a situação dele, muita maldade”, disse.

O abandono de animais de estimação é crime previsto na Lei Federal 9. 605/98.

A pena para quem pratica esse tipo de atitude varia de três meses a um ano de detenção. Bidú continua nas ruas e o apelo dos moradores é que ele encontre um lar logo.

Bidú foi abandonado pelos últimos donos e aguarda uma nova família (Foto: Fernando Brito/G1)
.