Polícia Militar entra na Casa de Custódia para acabar com motim (Foto: Gustavo Almeida/ G1)
A Casa de Custódia de Teresina registrou nesta segunda-feira (16) um motim em dois pavilhões após a diretora da unidade suspender as visitas de familiares para os presos. Os detentos quebraram celas, camas, grades, atearam fogo em colchões e lençóis. Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), Kleiton Holanda, não há confirmações de mortos ou feridos.

A Secretaria de Justiça confirmou que o motim tomou de dois pavilhões, mas que apenas o F ainda registra atividade irregular. Policiais Militares do Ronda Ostensivas de Natureza Especiais (Rone) e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) entraram na Casa de Custódia e estão tentando pacificar a situação.

A reportagem do G1 escutou sons de bombas e tiros. Kleiton Holanda informou que nesse domingo (15) houve uma tentativa de homicídio no Pavilhão F e a diretoria puniu os detentos deste prédio suspendendo as visitas familiares que iriam ser realizadas nesta segunda-feira (16).

Esse seria o motivo do motim. Atualmente a Casa de Custódia de Teresina tem cerca de 900 detentos, mas possui capacidade para apenas 300.

.