Imóveis em que forem encontrados focos do mosquito da dengue poderão ser multados em cerca de R$ 1,4 mil (Foto: Caio Vasques / RPC)
O Centro de Controle de Zoonoses e a Defesa Civil de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, iniciaram nesta segunda-feira (18) a vistoria de imóveis fechados. Os cerca de cem terrenos, casas e obras estavam fechadas durante as primeiras fiscalizações de combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, do vírus da zika e da febre chikungunya.
O trabalho é feito em parceria com a Secretaria Municipal de Fazenda.

E, em alguns imóveis vistoriados nesta manhã os fiscais já encontraram locais com larvas do mosquito. Nestes casos, a multa aos proprietários é de 20 unidades fiscais, o que atualmente equivale a R$ 1,4 mil.

Chaveiros estão sendo usados para auxiliar no serviço e permitir que os locais passem pela vistoria. BalançoO informe divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) na terça-feira (12) adicionou mais oito municípios paranaenses na lista dos com registro de epidemia: Antonina, Matelândia, Missal, Pérola, Iguaraçu, Paiçandu, Florestópolis e Sertanópolis.

No total, são 52 cidades nesta situação.
O número de casos confirmados no Paraná também aumentou para 24.

393 casos, 2. 938 a mais que na última semana.

Dos 399 municípios do Estado, 293 (73%) apresentam casos confirmados de dengue.
Os casos de chikungunya passaram de 46 para 49 em uma semana.

Desses, apenas cinco casos são autóctones, ou seja, contraídos no município de residência. Os casos de zika passaram de 223 para 245, com 90 casos importados.

.