O consumo e a produção de cerveja artesanal estão crescendo no Brasil. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Cerveja, essas bebidas chamadas de “especiais” ocupam 5% do mercado e têm previsão de dobrar o número de vendas nos próximos cinco anos. Em Divinópolis, empresários estão de olho nesse segmento.

O malte, o gosto, a cevada. Achei bem interessante.

Até mesmo para mudar um pouco do tradicional. Provei e gostei.

Fabiano Aquino Moreira, engenheiro civil
Esse tipo de produto se destaca pela cor e pelo aroma. Características bastante diferentes da bebida industrializada.

“O malte, o gosto, a cevada. Achei bem interessante.

Até mesmo para mudar um pouco do tradicional. Provei e gostei”, disse o engenheiro civil Fabiano Aquino Moreira.

O mestre cervejeiro Fernando Alvim percebeu esse gosto em vários outros consumidores e resolveu investir no segmento. Desde 2015 ele é dono de uma marca de cerveja artesanal, produzida em Belo Horizonte.

Segundo ele, a iniciativa começou como hobby, mas agradou ao mercado. “Comecei fazendo em casa, na panela, no fogão, de uma forma bem artesanal mesmo.

Depois eu vi esse crescimento. Entrei, resolvi criar minha marca e colocá-la no mercado”.

Desde o início do negócio, a produção dobrou e, segundo o empresário, tende a crescer mais. “Antes a gente tinha uma produção bem pequena.

Fazíamos poucas quantidades. Agora, já elevamos isso a um nível industrial.

Temos capacidadee hoje para mil litros e pensamos em expandir para dois mil litros. No início, tínhamos três estabelecimentos.

Hoje temos mais de dez parceiros e queremos mais”.
A gente tinha interesse em ter um espaço para você se sentar e degustar essas cervejas.

Não encontramos ninguém que fizesse isso e pensamos: por que não a gente?
Fernanda Dias, comerciante
Em um dos bares que vendem a cerveja produzida por Fernando, outros mais de 200 rótulos de cervejas especiais são oferecidos. O espaço foi inaugurado há um ano.

Desde que abriu, as vendas cresceram em 100%, segundo a comerciante Fernanda Dias.
“Na época, esse mercado ainda estava começando na cidade.

Já havia alguns empórios que trabalhavam com cervejas artesanais. A gente tinha interesse em ter um espaço para você se sentar e degustar essas cervejas.

Não encontramos ninguém que fizesse isso e pensamos: por que não a gente? Começamos a estudar bastante e montamos esse bar de degustação, voltado só para cervejas especiais”, comentou.
Quando o assunto é cerveja, Fernanda diz que muita gente associa o produto artesanal a valor alto.

Mas, segundo ela, nem sempre é assim. No estabelecimento dela, os preços variam entre R$ 6 e R$ 230.

Especialidade é choppRodrigo Melo é dono de outra empresa nesse segmento. Na cervejaria dele, são servidos apenas chopps.

A procura, garante ele, é cada vez maior. Segundo o empresário, o sucesso na venda de cervejas artesanais só depende de uma coisa.

“Tentar diferenciar. Cada um tem a sua receita.

Cada um põe uma coisa diferente. Além disso, cada produtor tem sua receita.

É como se fosse cozinhar mesmo”, finalizou. Cerveja gelada sobre balcão de pub em Divinópolis: tipo é artesanal (Foto: Hicks Artesanais/Divulgação)
.