Marisa Márcia Macedo tem 76 anos e é uma das moradoras do Asilo São Vicente de Paulo, em Curitiba (Foto: Bibiana Dionísio/ G1)
Para 160 idosas que moram no Asilo São Vicente de Paulo, em Curitiba, o almoço desta quarta-feira (27) foi motivo de alegria e se tornou o assunto das rodinhas de conversa. O cardápio foi pensado por chefs de um restaurante da cidade que pelo, segundo ano seguido, tenta mudar a rotina daquelas mulheres que têm muito para contar e dividir.
A gente não se sente desprezada, que tem muita gente boa que vem nos visitar”
Marisa Márcia Macedo, 76 anos
Atenciosa, Marisa Márcia Macedo diz que todas as moradoras ficam contentes com visitas especiais.

A quase um mês de completar 76 anos, ela conta que um o almoço feito por pessoas de fora tem outro gosto, outro paladar. “A gente não se sente desprezada, [sente] que tem muita gente boa que vem nos visitar”, contou.

O cardápio desta quarta-feira não tinha o prato predileto de Marisa que é pernil assado, mas, na opinião dela, estava delicioso a ponto de ficar difícil eleger o que estava mais saboroso. Para Alda Almeida da Silva, de 62 anos, foi mais fácil eleger um campeão.

“Eu gostei muito da lasanha. Nem comi a salada hoje e repeti a lasanha”, brincou.

Há dois anos, Alda mora no Asilo São Vicente de Paulo. Ela conta que ações como estas sempre animam as moradoras.

“Todo mundo fica comentando que a comida estava boa”, confessou a dona Alda.
Ativa e assídua nas aulas de artesanato, Alda relatou que sente falta de mais eventos como este.

Ela contou que antes, logo que chegou ao asilo, havia mais atividades voluntárias. Alda Almeida da Silva mora há dois anos do asilo e sente falta de mais eventos para alegrar as moradoras (Foto: Bibiana Dionísio/ G1)
O trabalho dos chefs e da equipe do restaurante La Verenne começou ainda na segunda-feira.

Todo precisaram trabalhar um pouco mais para garantir um almoço especial para as idosas. De acordo com a assistência social do asilo, 47% das moradoras estão lá em virtude de medidas protetivas.

Algumas foram vítimas de sequestro, outras eram vítimas de agressão física e também há casos de assédio sexual. Em alguns casos, familiares eram responsáveis pela agressão.

“Para a gente é bastante gratificante. Foge um pouco da nossa rotina.

. .

É bom trazer um pouco do nosso trabalho para que elas se sintam acolhidas. A gente tenta trazer um pouco da alta gastronomia para elas”.

A escolha dos ingredientes e dos pratos foi feita para garantir o equilíbrio da dieta. O chef Felipe Miyke conta que a equipe teve cuidado com a quantidade de gordura, açúcar, sal e outros temperos.

Chef do restaurante La Varenne elaboraram um cardápio especial para o almoço desta quarta-feira (27) (Foto: Bibiana Dionísio/ G1)
“Pensamos em coisas que a maioria das pessoas gosta e que são fáceis de comer, sem osso ou nervo, por exemplo. Pegamos alguns pratos franceses, que são básicos, e demos uma elaborada, uma requintada”, disse o chef.

Foi ofertado um leque de opções. Elas podiam escolher entre arroz branco, arroz integral, purê de batata, panachê de legumes, lasanha verde à bolonhesa, fricassé de frango com legumes, saladas e vinagrete de rúcula.

A melhor coisa que vamos ter de recompensa é o belo sorriso no rosto. Não tem preço.

Ninguém precisa falar nada, você vê a felicidade no olho da pessoa”
Mayra Batista, chef
Para a sobremesa foi servido pannacotta de iogurte e miscelânea de gelatina. Tudo acompanhado de suco natural de uva.

“A gente sabe que este dia vai ser muito especial e marcante para os velhinhos. A melhor coisa que vamos ter de recompensa é o belo sorriso no rosto.

Não tem preço. Ninguém precisa falar nada, você vê a felicidade no olho da pessoa.

Muda a vida dela por um momento”, disse a chef Mayra Batista. VoluntariadoTrabalhos voluntários como este realizado pelo restaurante são incentivados pela gestão do asilo.

“Todas as vezes que recebemos algum evento ou doação é de grande importância para as idosas aqui no asilo. Elas passam a interagir mais”, contou Marilene Duarte, que é gestora do asilo.

Quem tiver interesse em desenvolver alguma atividade pode entrar em contato com a assistência social. ServiçoEndereço: Rua São Vicente, 100, Juvevê CuritibaTelefone: (41) 3313-5353
.