O julgamento dos acusados de envolvimento na morte da empresária Geiziane dos Santos, que foi assassinada a tiros, em junho de 2015, em Monte Negro (RO), no Vale do Jamari, começou na manhã desta segunda-feira (25), quase um ano após o ocorrido. Durante o julgamento, que ainda não tem previsão para terminar, devem ser ouvidas 11 testemunhas do caso.
São quatro réus, entre eles, o ex-marido da vítima, Claudemir Dias dos Santos, acusado de ser o mandante do homicídio.

Os outros três são acusados de serem os executores do crime, são eles: Antônio Freitas da Silva, Gedeon José Duque e Robson Silva, os dois últimos estão foragidos e serão julgados a revelia. O ex-marido da vítima foi preso no dia 19 de agosto de 2015, e Antônio Freitas da Silva, em outubro do mesmo ano.

No julgamento, que começou por volta das 8h desta segunda-feira, devem ser ouvidas 11 testemunhas no total, e serão nove horas destinadas a debates entre a acusação e defesa, com direito a réplica e tréplica.   O júri é formado por sete pessoas, sendo três homens e quatro mulheres.

Familiares da vítima, e de um dos réus acompanham o julgamento. Vestida com uma camiseta em que está estampada uma foto da filha, a mãe da vítima, Maria Aparecida de Souza, falou ao G1 sobre a expectativa da família em relação a condenação do ex-genro pela morte da empresária.

“A perda da minha filha é uma dor que não tem fim. Eu espero que a justiça dos homens e a de Deus seja feita”, comentou à reportagem.

Já José Gonçalves da Silva, padrasto do acusado Claudemir Dias dos Santos,  acredita na inocência do enteado. “Espero que a justiça chegue à conclusão que ele é inocente.

Ele é trabalhador e nunca mexeu com isso. A prisão dele foi uma injustiça,  e confio plenamente na absolvição , e que ele saia daqui livre”, declarou.

O caso A empresária foi morta no interior da residência onde morava no dia 19 de junho de 2015. A mulher jantava quando uma pessoa entrou pelos fundos da casa.

Ao perceber a invasão, a empresária correu para o banheiro de um dos quartos e se trancou. Neste momento, o suspeito arrombou a porta do banheiro e atirou contra a vítima.

Conforme a investigações, o ex-marido descontente com o término do relacionamento por questões passionais e patrimoniais planejou o homicídio e contratou duas pessoas, que consequentemente chamaram dois executores para assassinar a mulher. Ele teria ordenado que os criminosos invadissem a casa onde a empresária morava com o filho.

.