Suspeito é apontado como mandante de homicídio ocorrido em 2013 (Foto: Jamile Alves/G1 AM)
O comerciante Antônio Edcarlos de Oliveira, de 42 anos, foi preso na tarde de segunda-feira (11), suspeito de encomendar a morte do vizinho, 28, no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus. De acordo com a Polícia Civil, ele mandou matar o homem após ter sido agredido pela vítima com um gargalo de garrafa. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (13), o suspeito negou o crime.

“Ele pediu desculpas e eu deixei pra lá. Jamais mandaria matar alguém”, disse.

O crime ocorreu em novembro de 2013, na Rua Acaiaca, situada no mesmo bairro. O corpo da vítima foi encontrado em uma casa abandonada com sinais de agressão.

Um bloco de concreto que teria sido utilizado no crime foi localizado no mesmo local. Um suspeito de envolvimento no homicídio ainda segue foragido.

O comerciante e a vítima moravam lado a lado. Segundo a polícia, investigações dão conta de que o suspeito encomendou a morte do homem após um desentendimento, que ocorreu em frente ao comércio onde ele trabalha.

Ao G1, o Antônio de Oliveira contou, entretanto, que não houve briga entre eles.
“Eu estava fazendo um churrasco lá na frente da minha casa, onde funciona meu comércio, que também é um bar.

Ele [vítima] estava brigando com o pai dele, não sei, estava drogado. Aí foi quando minha mulher gritou ‘ele vai te furar’, e ele me agrediu no ombro.

Mas foi só isso”, contou.
Na ocasião, eleinformou que chegou a procurar a polícia para registrar um boletim de ocorrência sobre o caso.

“Na delegacia ele me pediu desculpas. Disse que estava drogado.

Eu deixei pra lá depois disso. Nós éramos conhecidos, mas eu não mandei matar ele [sic]”, completou.

Antônio de Oliveira foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva. De acordo com o delegado do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Jander Mafra, uma fonte informou sobre o suposto envolvimento do comerciante no crime.

“Essa pessoa nos disse que viu o Antônio dando dinheiro para um dos suspeitos. Ele chegou a depor na polícia, foi intimado outras vezes, mas deixou de comparecer.

Por isso foi expedido o mandado”, justificou o delegado.
Ainda conforme a Polícia Civil, quatro pessoas, sendo uma delas um adolescente, executaram a vítima a mando do comerciante.

Dois homens foram presos e aguardam decisão judicial. Ao término dos procedimentos na Delegacia Geral, Antônio de Oliveira seguirá para a Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da capital.

.