O conselheiro do Tribunal de Contas do Maranhão(TCE-MA), Edmar Cutrim, que nomeou o filho do presidente em exercício da Câmara Federal como assessor, afirmou nesta terça-feira (10), em São Luís, que não sabia que Thiago Maranhão não cumpria expediente no gabinete. Agora Thiago Maranhão pode ter que devolver o dinheiro que recebeu sem trabalhar no Tribunal de Contas. Uma sindicância está sendo instalada para investigar o caso.

“Meu gabinete tem apenas dez cadeiras. Todas lotadas.

Pode ir lá no meu gabinete que funciona no horário normal até passa do horário porque eu sou um cara produtivo dentro da casa. entendeu? Eu fui tomar conhecimento desse fato de que ele tava no rio estudando através de notícia sexta-feira.

O que eu fiz? Vim tomar a providência minha de chegar na casa. Fazer o pedido pra presidência e pedir a exoneração e que abra uma sindicância que apure.

Se tá devendo vai ter que devolver doutor! Eu sou favorável a devolver. Se for o caso isso aí vai ser apurado depois da sindicância.

Não sou eu. É uma comissão estabelecida pela casa, pelo Tribunal”, revelou o conselheiro.

O TCE-MA é o órgão responsável pela fiscalização e controle da correta aplicação do dinheiro público. Como assessor, o médico Thiago Maranhão deveria auxiliar o conselheiro Edmar Cutrim nesta tarefa.

Ainda conforme o conselheiro do TCE-MA acrescenta que a administração do órgão já está tomando as providências cabíveis sobre o assunto. “Ele tinha lotação no gabinete.

Não tem nada a ver. esse assunto tá superado.

Isso aí é administrativo. A administração tá tomando providência.

Não vai ter problema nenhum. Eu acho que tão colocando tempestade num copo d’água.

Eu acho que tem coisa muito mais séria nesse país pra resolver do que isso. Esse tamanhinho de coisa pra querer desonrar as pessoas”, finalizou.

A nomeação de Thiago Augusto Azevedo Maranhão Cardoso foi assinada em outubro de 2013 pelo então presidente do TCE- MA, o conselheiro Edmar Cutrim. O pedido de exoneração foi assinado pelo atual presidente, Jorge Pavão.

O salário do filho do presidente em exercício, da Câmara Federal, Waldir Maranhão, segundo o Portal da Transparência, era de sete mil e quinhentos reais.
De acordo com o cadastro do Ministério da Saúde, Thiago Maranhão atua há cinco anos como médico em outros estados e está fazendo pós-graduação em São Paulo.

Até o momento, o médico Thiago Maranhão não foi encontrado para falar sobre o assunto. O presidente do TCE-MA, João Jorge Jinkings Pavão, que assinou a exoneração de Thiago Maranhão, não quis gravar entrevista.

Conselheiro do TCE-MA, Edmar Cutrim, afirma que não sabia que Thiago Maranhão não cumpria expediente no gabinete (Foto: Reprodução/TV Mirante)
.