Ônibus ficou totalmente destruído após o acidente, em Mamborê (Foto: Divulgação / PRF)
Os corpos de duas vítimas do acidente com ônibus registrado na madrugada deste sábado (9) em Mamborê, na região centro-oeste do Paraná, começaram a ser sepultados neste domingo (10) no Cemitério Municipal de Maringá, na região norte.
O enterro de Ana Paula da Silva Pezarini ocorreu às 12h30 e o de Adriana Rodrigues está marcado para as 17h. Outras oito pessoas, que moravam no interior de São Paulo, também morreram no acidente.

Entre elas estavam dois irmãos que eram os motoristas do veículo. Eles estão sendo velados em no Velório do Cemitério Campal, em Presidente Prudente.

Às 12h30 deste domingo, o IML de Campo Mourão informou que todos os corpos tinham sido liberados. Veja a lista das vítimas.

A tragédia também deixou 24 pessoas feridas. Até as 15h27, sete permaneciam internadas, quatro delas em estado gravíssimo na UTI.

Os feridos estão internados na Santa Casa e no pronto socorro de Campo Mourão. Entenda como aconteceu o acidenteO ônibus com placas de Dracena, no interior de São Paulo, saiu de Presidente Prudente, no mesmo estado, e seguia para o Paraguai.

O grupo faria compras no país vizinho quando foi surpreendido por assaltantes por volta da 1h45, no quilômetro 403 da BR-369. Passageiros relataram à polícia que foram acordados pelo barulho de tiros momentos antes do acidente.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a suspeita é a de que o motorista tenha se assustado e perdido o controle da direção. Desgovernado, o ônibus cruzou a pista e bateu em uma árvore.

Com a pancada, a parte da frente do ônibus ficou completamente destruída. As poltronas dos passageiros se soltaram.

“Estava na quinta poltrona, no lado direito. Fui arremessado para fora.

Outras pessoas também foram, mas acabaram falecendo”, relata o passageiro Gilmar Polisel. InvestigaçãoUma verificação preliminar da PRF aponta que o veículo estava registrado na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), mas não tinha autorização para fazer a viagem.

A Polícia Civil já abriu um inquérito para investigar o caso.
“Era um comboio de cinco ônibus.

Esse ônibus ficou por último, foi interceptado por outro veículo e foram efetuados de cinco a seis disparos. A maioria das vítimas estava dormindo e não viu o que aconteceu, só ouviu”, explica o delegado João Paulo Lauandos.

Ainda segundo o delegado, um dos passageiros relatou à polícia que viu dois indivíduos com lanternas no lado de fora. “Eles estavam procurando, perguntando se mais alguém tinha morrido, com atitude bem suspeita, de bonés.

Tudo indica que se trata mesmo de uma tentativa de assalto”, afirma.
.