Escola promoveu debate sobre direitos da criança e adolescente, entre juízes e alunos, em Porto Velho(Foto: Matheus Henrique/G1)
Aconteceu na tarde de quarta-feira (20), um debate entre quatro juízes de Rondônia e alunos de uma escola de ensino fundamental em Porto Velho. A ideia central do encontro era tirar as dúvidas dos alunos do 5º, 6º e 7º ano do ensino fundamental, que estão finalizando um estudo sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Durante uma hora, 42 alunos participaram de um bate-papo sobre os direitos da criança e do adolescente.

As principais dúvidas eram sobre o que pode ou não assistir na TV, sair desacompanhado, o que acontece com uma criança quando os pais perdem a guarda, lei Maria da Penha, violência à criança e curiosidades sobre o quantitativo de tempo de penas.
Foram convidados os juízes, Renato Bonifácio, da Vara de Execuções Penais, Marcelo Tramontini, da Vara da Infância e Juventude, Fabiano Pegoraro, da Vara da Família e Ênio Salvador, da Vara Crime Criminal.

Pieta participou de debate sobre direitos da criançae adolescente (Foto: Matheus Henrique/G1)
A pequena Pietra Rolim, de 11 anos, sonha em ser médica e se preocupa com outras crianças que sofrem violência dentro de casa. “Tem muitas crianças que sofrem com a violência no dia-a-dia e não merecem isso”, declarou.

O juiz Renato Bonifácio afirma que a ação foi uma experiência diferenciada, de aprendizado para as duas partes. “É um grande aprendizado, saímos do nosso ambiente de trabalho.

É importante que essas crianças participem desse debate e compartilhem conosco sobre o que elas pensam. Isso nos ajuda a entender o que passa na cabeça delas e muda o conceito na hora de tomar determinadas decisões”, comenta o magistrado.

A diretora da escola afirma que estudos de determinadas áreas jurídicas são ensinados às crianças. “O estudo dos direitos humanos e parte do Estatuto da Criança e do Adolescente faz parte da grade escolar.

A ideia de trazer os juízes surgiu depois que eles começaram a ter muitas duvida em sala de aula. Esse trabalho é a finalização do estudo”, explica Fernanda Bordalo.

Alunos do ensino fundamental participaram de debate com juizes, sobre estatuto da Criança e Adolescente em Porto Velho (Foto: Matheus Henrique/G1)
.