O curta ‘A moça que dançou com o diabo’ foi produzido em Rio Claro (SP) (Foto: Reprodução)
O curta-metragem ‘A moça que dançou com o diabo’, produzido pelo grupo de Rio Claro (SP) Kino-Olho, foi indicado na terça-feira (12) ao prêmio Palma de Ouro no 69º Festival de Cannes, que será realizado nos dias 11 a 22 de maio, na França.
Com duração de 14 minutos, o filme é dirigido por João Paulo Miranda Maria e é inspirado na lenda urbana de São Carlos (SP) que conta a história uma garota de família religiosa que dançou com um forasteiro, que se revela ser o diabo, na noite de Sexta-feira da Paixão. O curta-metragem concorre ao principal prêmiodo Festival de Cannes (Foto: Reprodução)
Os atores são todos amadores e vivem em Rio Claro.

O último filme brasileiro que venceu o principal prêmio de Cannes foi o longa-metragem “O pagador de promessas”, em 1962, do diretor Anselmo Duarte. Histórico de sucessosEste é o terceiro ano seguido que um curta do grupo é exibido em Cannes.

No ano passado, eles já concorreram na Semana da Crítica com o curta-metragem “Command Action” e ganhou o prêmio de melhor som no 48º Festival de Brasília do cinema brasileiro, em setembro do ano passado. A obra, que teve custo de R$ 28 mil, foi iniciada com a ajuda da venda de rifas.

Ela conta a história de um menino que sai de casa para comprar comida para a família, mas acaba adquirindo um robô de brinquedo.
Em 2014, o curta-metragem ‘A Ida ao Diabo’,  também gravado em Rio Claro, foi selecionado para participar da 67ª edição do Festival.

Inspirado na obra ‘O Mestre a Margarida’, do escritor russo Mikhail Afanásievitch Bulgákov,  relata o encontro entre dois artistas. Por meio de fotografias, a junção reflete a existência e a presença de Jesus Cristo nos dias de hoje.

Em 2009, eles ganharam um concurso internacional promovido pela CNN. O 69º Festival de Cannes será realizado em maio na França (Foto: AFP Photo/Valery Hache)
.