Prefeitura de Curitiba conseguiu evitar demolição da Mansão do Batel (Foto: Gabriel Rosa/SMCS/Divulgação)
Decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) impede que o casarão conhecido como “Mansão do Batel”, em Curitiba, seja demolido. A medida reverte a decisão de primeira instância que havia permitido que o proprietário, uma empresa administradora de bens, derrubasse o imóvel construído no início do século XX. Cabe recurso.

A mansão, que fica no número 1. 938 da Rua Bispo Dom José, está cadastrada na lista de Unidades de Interesse de Preservação (UIPs) desde a década de 1990.

A empresa dona do imóvel acionou a Justiça após a Prefeitura de Curitiba negar autorização para demolição.
Após a decisão de primeira instância concedendo a autorização judicial para a demolição, a Procuradoria Geral do Município (PGM) recorreu.

A fundamentação do recurso foi baseada na regulamentação da Lei de Proteção do Patrimônio Cultural de Curitiba, sancionada no mês de março pelo prefeito Gustavo Fruet (PDT).
A Mansão do Batel é símbolo da arquitetura residencial da classe média e da elite curitibana na primeira metade do século XX.

Foi projetada a pedido de Percy Wihiters, que foi prefeito temporário da cidade em 1920.
.