Carne foi apreendida em fábrica na região sul de Campo Grande (Foto: Polícia Civil de MS / Divulgação)
Duas toneladas de carne bovina, impróprias para consumo, foram apreendidas pela Polícia Civil nesta quinta-feira (28), no bairro Aero Rancho, região sul de Campo Grande. Investigadores, o delegado da Delegacia do Consumidor (Decon), Elton Galindo, além de agentes da Vigilância Sanitária foram ao local após denúncia anônima. Carne estava acondicionada em tambor de plástico,diz delegado (Foto: Polícia Civil de MS / Divulgação)
“Nós apreendemos a mercadoria em uma fábrica de charque e linguiça.

O proprietário da empresa, de 37 anos, também foi preso em flagrante. Ele disse que seguia o manual de boas práticas, mas a própria vigilância interditou o local por conta das condições inadequadas.

Por mais irônico que pareça, o suspeito colocava a marca qualidade em seu produto”, afirmou ao G1 o delegado Elton Galindo.
Durante a vistoria, que teve início às 9h (de MS), Galindo disse que constatou que a carne era mantida em temperatura inadequada, além de ser acondicionada em tambores de plástico.

No local, linguiça e charques, que possuíam a marca qualidade, eram fabricados. “Por mais irônico que pareça este era o nome que levava o produto.

O local foi interditado pela vigilância e o produto não possuía nem a origem e data de validade”, explicou.
Ainda conforme o delegado, o próximo passo é constatar o fornecedor do suspeito.

“Ele fornecia o produto em diversos estabelecimentos comerciais da cidade. O proprietário foi indiciado por crime contra as relações de consumo e pode ter uma pena que chega a 5 anos de prisão.

Ele não tinha antecedentes criminais”, finalizou.
.