Descarte irregular de lixo gera despesas para a Prefeitura de Uberlândia (Foto: Reprodução/MGTV)
Foram gastos em 2015, de acordo com a Secretaria de Serviços Urbanos de Uberlândia, mais de R$ 2 milhões com despesas causadas pelo descarte irregular de lixo. Mesmo contando com 12 ecopontos espalhados pela cidade, moradores de diversos bairros fazem descarte irregular em terrenos vagos, à beira das rodovias e até mesmo em calçadas.
Ainda conforme a Secretaria, o município gasta mais de R$ 500 mil por mês para fazer a destinação correta do material recolhido em lotes e áreas vagas.

O valor é pago a uma empresa que administra uma espécie de aterro para receber o material. Ainda conforme informações da pasta, em 2013 foram gastos cerca de R$ 1.

855. 946,02 com os lixos recolhidos, em 2014 o valor subiu para R$ 1.

983. 758,46 e em 2015 aumentou mais ainda, R$ 2.

136. 791,41.

Mas outro problema piorou a situação, desde o início de 2015 a área de transbordo usada para receber esse material, localizada dentro do Aterro Sanitário, chegou no limite. Por causa disso, a Prefeitura tem que pagar outro local para receber o material.

Só no ano passado, foram mais de R$ 1. 209.

472,13 para abrigar esse material em um novo local. Além disso, um aterro que recebe restos vegetais deverá chegar a capacidade máxima em até um mês, sendo preciso pagar mais um local.

Medidas, multas e fiscalizaçãoRonaldo Pereira, assessor de limpeza urbana, disse que várias medidas já foram tomadas para conter o descarte. “Nós instalamos cercas, colocamos placas identificando e advertindo que não pode jogar lixo em determinado local e indicamos o mais próximo dos Ecopontos” , explicou.

Para tentar solucionar o problema, a Prefeitura começou a multar moradores que jogam entulhos em pelo menos 90 pontos críticos da cidade, sendo 30% representados por terrenos vagos de propriedade particular. No ano passado, em cerca de oito meses a Prefeitura aplicou 203 multas por descarte de lixo em locais irregulares.

No trabalho, 26 multas foram geradas por quatro fiscais, com o valor que variava de R$ 700 a R$ 2. 200.

Foram cerca de R$ 243 mil arrecadados com as infrações. “Nós vamos ampliar a nossa fiscalização porque é uma forma de realmente aplicar esse dinheiro de melhor maneira na cidade” afirmou Pereira.

Atendimento ecopontosPequenos entulhos, como podas de árvores e embalagens para reciclar devem ser encaminhados para os 12 ecopontos, que funcionam todos os dias da semana. O horário de atendimento ocorre das 7h às 19h.

O serviço é gratuito.
.