Sintomas do câncer de próstata são em sua maioria problemas urinários (Foto: Reprodução/TV Globo)
Uma iniciativa de professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) pode ajudar a conter o avanço dos casos de câncer de próstata e de pênis no estado. A pró-reitoria de extensão da instituição coordenadou a elaboração de um projeto intitulado Saúde do Homem do Piauí, orçado em quase R$ 7 milhões e que visa desenvolver ações educativas e de prevenção à doença em todo o estado.
O projeto é resultado do trabalho de uma comissão de pesquisadores das áreas da psicologia, enfermagem e medicina da Uespi.

De acordo com o professor Raimundo Dutra, pró-reitor de extensão da universidade, a iniciativa é prevista para ser executada no Piauí durante dois anos. O projeto deve ser executado com o apoio da Coordenação Estadual de Atenção à Saúde do Homem da Secretaria de Saúde (Sesapi).

“O projeto tem um cunho educativo, até porque o homem não tem o hábito de tratar da própria saúde. Teremos coordenações regionais coordenadas por professores da área da saúde nos campi da Uespi e uma coordenação geral aqui em Teresina.

Os principais objetivos serão orientar a busca pelos exames e a prevenção a esses dois tipo de câncer”, falou o professor em entrevista ao G1.
Somente de 2009 a 2013, o Piauí registrou 1.

113 mortes por câncer de próstata. A estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) é de que 61 mil novos casos sejam diagnosticados no Brasil em 2016 e a previsão é de 890 novos registros no Piauí.

Os casos de câncer de pênis também devem crescer. O projeto dos docentes da Uespi deve expandir as ações de prevenção e estímulo ao tratamento em todas as cidades do Piauí.

A iniciativa dos pesquisadores foi levada à Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) esta semana. Segundo o presidente da Comissão de Saúde da Alepi, deputado Doutor Hélio Oliveira, o projeto desenvolvido pelos professores constitui-se numa verdadeira força-tarefa educativa para evitar a elevação dos casos da doença no estado.

Ele destacou que as prefeituras devem atuar como parceiras na execução.
“O objetivo é mobilizar a população com ações educativas e de prevenção.

Nós vamos ajudar tentando por em prática a possibilidade dos homens terem acesso ao PSA pela rede pública, pois atualmente é um exame pouco disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, propomos ter o Hospital Getúlio Vargas (HGV) como centro de referência no tratamento dos casos diagnósticos pelas equipes no interior”, explicou.

Diagnóstico precoceO parlamentar que é médico destacou ainda que a maior parte das mortes por câncer de próstata no Piauí ocorre porque as vítimas já descobrem a doença em estado avançado. Sobre o câncer de pênis, Doutor Hélio disse que a incidência da doença está diretamente relacionada ao asseio.

Ele também defende que as maternidades públicas realizem a cirurgia de circuncisão após o nascimento dos bebês. A apresentação de um Projeto de Lei nesse sentido está sendo estudada.

“A maternidade teria uma equipe de urologia para que no momento do nascimento já fosse feita a circuncisão na criança, desde que os pais autorizem. Em Israel, onde a cirurgia é realizada em todos os bebês, não existem casos de câncer de pênis”, explicou o deputado.

Para ajudar no custeio da execução do projeto, a Comissão de Saúde da Assembleia quer mobilizar todos os deputados estaduais para que destinem verbas de emendas parlamentares. “A ideia é fazer com os parlamentares destinem uma emenda em conjunto para ajudar na execução das ações em prol da saúde do homem, que serão realizadas nessa parceria da Uespi com a Secretaria de Saúde”, concluiu.

.