Mulher agredida fala que já denunciou marido à polícia que nada fez (Foto: Gustavo Almeida/G1)
A mulher que foi agredida com tapas e socos pelo ex-namorado em plena luz do dia em uma praça perto do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) recebeu a reportagem do G1 em sua casa, na Zona Sul de Teresina, na manhã desta sexta-feira (13). A agressão que ela sofreu ganhou repercussão após ser flagrada pela equipe do Bom Dia Piauí na última segunda-feira (9). A vítima relatou os momentos da agressão e disse que o ex-companheiro é acostumado a espancá-la e ameaçá-la sempre que está sob o efeito de bebida alcoólica.

Vítima relata agressões e o medo de continuar sendoviolentada (Foto: Gustavo Almeida/G1)
Segundo ela, que não quis ter a identidade revelada, o agressor já chegou a rasgar suas roupas algumas vezes e deixá-la totalmente nua no meio da rua.
“Já me deixou nua no meio da rua na frente de todo mundo e tudo por ciúmes.

Ninguém pode falar comigo e nem posso atender ao telefone porque ele acha ruim. Fiquei com ele porque era ameaçada, mas agora espero que ele seja preso.

No dia que filmaram ele me batendo, eu levei uma pancada tão forte que fiquei sem ar. Ele queria que subisse na moto”, contou.

A mulher de 28 anos namorou o agressor durante um ano e chegou a morar com ele por um mês, mas voltou para a casa dos pais porque não aguentava mais tanta violência. Disse que não formulou a denúncia das outras vezes porque era ameaçada.

Em duas ocasiões, ainda ligou para a polícia após ser agredida, mas somente desta vez decidiu denunciar na Delegacia de Proteção à Mulher em Teresina.
“Dessa vez eu fiz o Boletim de Ocorrência e o exame de corpo de delito.

Mas estou indignada porque a audiência foi marcada para esta terça-feira (13) e quando cheguei lá disseram que não teria audiência porque a delegada não estava e nem ele tinha comparecido. A gente já tem receio de denunciar e quando denuncia ainda tem uma coisa constrangedora dessas”, desabafou.

A mãe da mulher, de 70 anos, diz que já presenciou várias vezes a filha sendo agredida e conta que o homem invadiu a casa dela algumas vezes ameaçando a família. Ela afirma que ficou inconformada quando reconheceu e filha sendo espancada pelo homem na reportagem exibida na televisão.

A idosa conta que nunca confiou no rapaz e que não aguenta mais ver sofrimento em sua casa, onde moram outros dois idosos. “Quando eu vi a reportagem meu sangue ferveu nas veias.

Posso lhe garantir que se eu fosse homem teria colocado minhas mãos naquele vagabundo naquela hora. Ele está aí andando tranquilo pelas ruas e ainda ameaça minha filha porque ele não presta e não vale nada”, desabafou a idosa.

O G1 procurou a Secretaria de Segurança Pública e foi informado que a delagada responsável pelo caso está afastada por motivos de doença, mas não explicou o motivo de outro delegado não ter assumido o cargo. Com medo do esposo, mulher coloca grade nas portas da casa (Foto: Gustavo Almeida/G1)
.