Manifestantes pedem a legalização da maconha no país (Foto: Fernanda Fraga/RPC)
Em um dia marcado por atos contra e a favor do impeachment da presidente Dilma Roussef (PT), cerca de 500 pessoas, de acordo com os organizadores, se reuniram em Curitiba para fazer um protesto pedindo a legalização da maconha. O ato deste domingo (17) ocorre na Boca Maldita, centro da capital, um lugar conhecido por abrigar diversas manifestações na cidade.
Os manifestantes a favor da legalização da maconha começaram a se reunir na Boca Maldita por volta das 15h.

Segundo a Polícia Militar, na última atualização, às 16h, havia 250 pessoas participando do ato.
O grupo pretende sair em caminhada, a partir das 16h20, em direção ao Paço da Liberdade e, de lá, para a Praça 19 de Dezembro, onde ficam as sedes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário do Paraná e também a Prefeitura de Curitiba.

A poucas quadras dali, na Praça Rui Barbosa, 5 mil pessoas, segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), estavam protestando contra o prosseguimento do processo de impeachment da presidente Dilma, cuja votação ocorre na Câmara dos Deputados, em Brasília.
Em outro ponto do Centro, na Praça Santos Andrade, os organizadores estimavam que 10 mil pessoas participavam de outro ato, este, a favor do prosseguimento do processo de impeachment de Dilma.

No bairro Ahú, outro grupo também protesta pela continuidade do processo de impeachment, em frente à sede da Justiça Federal.
Até as 16h, a Polícia Militar ainda não tinha números atualizados dos dois atos políticos que aconteciam no Centro da cidade.

.