Trânsito de mercúrio foi visto no Marco Zero do Equador, em Macapá (Foto: Estevam Eliel/G1)
Amapaenses puderam observar o planeta Mercúrio por sete horas e meia nesta segunda-feira (9), em Macapá. O fenômeno, que acontece a cada 100 anos, foi visto através de telescópios por integrantes de um clube de astronomia no Monumento Marco Zero do Equador, na Zona Sul.
A observação teve início às 8h12 e terminou às 15h30, em Macapá.

Integrantes do Clube de Astronomia do Amapá Mirzam utilizaram um telescópio de projeção para observar a passagem do planeta em frente ao Sol. Mercúrio passou em frente ao Sol (Foto: Nasa)
O presidente do clube, o físico Cássio Renato, de 29 anos, explicou que a observação não pode ser feita a olho nu e justificou a escolha do Monumento Marco Zero pelo ambiente favorável ao fenômeno.

“Não há observação direta na ocular do aparelho porque pode causar danos irreversíveis a visão. Escolhemos o Marco Zero por ser um local agradável, além de ser ponto de turismo pelo privilégio de estarmos no meio do mundo”, disse.

Inscrito recentemente no clube, o estudante de engenharia elétrica Anderson Cardoso, de 26 anos, não escondeu a alegria por ter visto um dos mais raros fenômenos.
“Eu sempre tive interesse por astronomia, de saber como funciona os arranjos dos corpos celestes e esse evento é maravilhoso, pois nem todo mundo terá o privilégio de prestigiar algo assim.

Isso é algo único”, enfatizou.
O estudante de física Lucas Matheus, de 20 anos, avaliou que o evento serve como comprovação dos estudos entre a ciência e o universo.

“Mesmo com o dia nublado foi possível observar. Esse evento é como se fosse uma comprovação da ciência, onde a gente consegue ver ciência e o universo na sua complexidade, e observar com tudo acontece, e isso é raro”, disse o estudante.

A observação do fenômeno é parecida com a de um eclipse e em algumas regiões fica ela não é visível. O tempo de duração do fenômeno depende de onde o planeta irá passar na frente do Sol.

.