Empresários de Ji-Paraná investem no setor de automatização de residências. (Foto: Marco Bernardi/do G1)
Em Ji-Paraná, cidade da região central de Rondônia, a tecnologia das ‘casas inteligentes’ começa a ganhar espaço.   A possibilidade de monitorar a distância os recursos da residência, e ainda aumentar a segurança, deixaram de ser comodidade para virar necessidade.

Pensando nisso, Ricardo Carvalho e Hugo Araújo decidiram investir no serviço de automação de residências, que deve dobrar a partir do próximo ano.
Os empresários da área garantem que a distância de Rondôniaxpara os grandes centros não encarece o serviço.

“Muita gente pensa que por estarmos no norte, longe dos grandes centros, a automação ficaria mais cara, mas hoje o preço é parecido com o trabalhado em todo o país”, afirma Ricardo.
“O que torna a automação cara são os serviços importados, por causa da alto preço do dólar, mas hoje várias empresas nacionais já produzem o material necessário para automatizar uma casa, que fez com que a atividade fosse barateada”, explica o empresário.

O recurso faz com que toda parte elétrica da casa se torne inteligente. “Todo equipamento eletrônico na residência pode ser automatizado, toda parte de iluminação, ar-condicionado, irrigação de jardim.

Tudo pode ser agregado e colocado em uma mesma interface para que se controle toda a residência de um único ponto” afirma Hugo.
Em Ji-Paraná já existem quatro residências automatizadas.

Alexandre Da Lamarta, empresário local, conta o que o levou à implantar essa tecnologia. “Comecei a automação da minha casa com a ideia de praticidade, hoje vejo um pouco mais, uma ferramenta que, por exemplo, usando as luzes na intensidade ideal valoriza o ambiente.

Às vezes tem que ligar vários interruptores, eu pessoalmente não tenho paciência, tenho que ficar no liga e desliga”, conta Alexandre.
O empresário conta que o investimento é mais do que um simples conforto.

“Hoje, passou de comodidade para praticidade”.
.