Encontro aconteceu no Espaço Alternativo, em Porto Velho (Foto: Ísis Capistrano/ G1)
O Espaço Alternativo é um trecho da Avenida Jorge Teixeira, em Porto Velho, muito usado pela comunidade para a prática de esportes e passeios. Também é comum encontrar animais gastando energia com os donos pelo local. Mas na tarde do último domingo (1), a cachorrada estava solta, resultado do 3º Encontro Patas Unidas em prol de abrigos voluntários que cuidam de animais abandonados do município.

De acordo com Isabela Salvatori, representante do grupo Patas Unidas, que também é criadora de animais da raça Golden Retrievers, o encontro pretendia reunir amantes de cachorros e arrecadar ração para os abrigos parceiros Socorristas Animais, Protetores Voluntários e Associação Protetora dos Animais Desamparados Amigos de Patas. Associação ‘Protetores Voluntários&’ já castrou 72animais de rua em seis meses de projeto(Foto: Ísis Capistrano/ G1)
Os doadores concorriam ao sorteio de 30 brindes e quem comprasse um dos números da rifa poderia ganhar três meses de adestramento.

Na estimativa de Isabela, cerca de 3 mil pessoas passaram pelo espaço. “Teve muita contribuição de ração, ainda não estimamos quanto.

Mas ultrapassou as edições passadas”, disse.
Márcia Helena, diretora da associação Socorrista Animais, que ajuda bichos doentes e machucados, fala da importância em poder divulgar o trabalho.

“Eu não pude trazê-los porque são animais doentes, mas o pessoal conheceu, perguntou como faz para ajudar e se interessou sobre o assunto. Foi bem legal”, disse.

 
Já Indira Jara, participante do projeto Protetores Voluntários, que tem como foco castrar animais de rua, explicou como as pessoas podem ajudar o projeto, que já cuidou de 75 animais em seis meses de atividade. Animais da Amigos de Patas também foramlevados para adoção no evento(Foto: Ísis Capistrano/ G1)
“Cada castração é R$ 200.

Nós vendemos bandanas, camisas, rifas e com a verba angariada nós pagamos o serviço. As pessoas podem curtir nossa página no Facebook para conhecer mais”, disse.

A Associação Protetora dos Animais Amigos de Patas, conhecida por recolher e acolher animais de rua foi uma das associações beneficiadas e até levou animais para adoção. Teve resultado, de nove cachorros, quatro foram doados.

Segundo a diretora, Ana Paula da Silva, os cachorros doados só são doados após aprovação. “Não adianta achar bonitinho se não vai ter cuidado”, explica.

Segundo ela, a associação passa por dificuldades. Falta mão de obra e espaço para cuidar dos animais.

O trabalho da associação também está disponível na internet para mais informações.
.