A Unidade de Educação Básica Elpídio Hermes de Carvalho, pertencente ao ensino infantil, e a Unidade de Educação Básica Neto Guterres, voltada para o ensino fundamental, situadas no bairro Angelim, em São Luís, estão com um esgoto estourado nas áreas escolares e o problema já está prejudicando os alunos.
Segundo os pais dos alunos, em virtude desse problema as crianças estão, atualmente, assistindo as aulas nos corredores das respectivas escolas. O pedreiro Edinaldo Alves da Silva, que é pai de aluno pede uma providência por parte das autoridades.

“Devido ao mau cheiro a paciência deles fica pouca e também não faz bem a eles. Então pedimos que tomem uma providência quanto o mais rápido possível”, reclamou.

A dona de casa Maria Dalva diz que está indignada porque a escola foi reformada recentemente e por isso deveria estar funcionando bem e com conforto para os alunos. “A sala é quente e ele tem problema de asma.

Tudo isso complica e ele fica doente. O mau cheiro e é entupido.

A escola passou bem uns seis meses reformando, sem aula e agora quando volta ainda é desse jeito. Fica complicado”, revelou a dona de casa.

O empresário Ilmar Brandão Lima também reclama da situação. Ele diz que o problema maior está no corredor e na área onde ficam os banheiros que estariam interditados.

“O esgoto que passa bem no corredor que vem da sala de refeitório e estoura e, inclusive, os dois banheiros que é usado está fechado. Como as crianças vão usar o banheiro durante o horário de aula?”, indagou.

Os pais contam que já reclamaram para a diretoria que, por sua vez, pediu ajuda à Secretaria Municipal de Educação, mas nada foi resolvido.
Por meio de nota, a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) informou que não possui rede coletora de esgoto nessa área do bairro do Angelim.

Portanto, o sistema da referida escola é feito de forma individual por meio de fossa séptica. No entanto, a Caema disse que vai mobilizar uma equipe de campo para averiguação e auxílio na resolução do problema.

Problema maior está no corredor e na área onde ficam os banheiros que estariam interditados (Foto: Reprodução/TV Mirante)
.