Lagoa de água de esgoto que sai da CPP de Palmas (Foto: Prefeitura de Palmas/Divulgação)
A Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça foi multada em R$ 175 mil pelo vazamento de esgoto bruto da Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP). A multa foi aplicada pela Fundação Municipal do Meio Ambiente (FMA). O problema é antigo e o estado já havia sido notificado para resolver a situação.

Segundo a Fundação, a multa foi aplicada considerando a gravidade do dano causado ao meio ambiente. Antes de aplicar a punição, um laudo foi elaborado para medir o estrago causado pelo vazamento do esgoto.

EntendaO vazamento de esgoto na CPP surgiu em 2013, quando a tubulação se rompeu e os resíduos sanitários começaram a escorrer para o um córrego. Naquela ocasião, a secretaria foi notificada para tomar medidas emergenciais para parar o lançamento e apresentar medidas definitivas para solucionar o sistema de tratamento da CPP.

Em junho do ano passado, a prefeitura recebeu uma nova denúncia. Conforme a FMA, a denúncia foi protocolada no Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e foi ao local, mas nenhuma providência efetiva foi tomada.

RespostaProcurada, a Secretaria de Cidadania e Justiça disse que está em busca de parceria com a Odebrecht Ambiental | Saneatins para uma solução definitiva para o problema.
“A Seciju lembra ainda que os problemas enfrentados com a falta de esgotamento sanitário na CPP de Palmas remontam há uma década, porém, a atual administração está empenhada em solucionar a questão.

“Tubulação rompida deixa esgoto vazar no solo (Foto: Prefeitura de Palmas/Divulgação)
.