A estudante Francielle Barbosa é a idelizadora do grupo Caronas Ufal (Foto: Waldson Costa/G1)
Em uma iniciativa para facilitar a mobilidade e reduzir o tempo de percurso de casa até o campus da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), em Maceió, estudantes universitários criaram nas redes sociais grupos de caronas para estimular a prática e reunir pessoas interessadas em oferecer e receber viagens gratuitas.
Idealizados pela estudante Francielle Balbino, do curso de Psicologia, os grupos  ‘Caronas Ufal’ no Facebook e no aplicativo Whatsapp, que estão ativos há 3 meses, vêm ganhando adeptos a cada dia porque estimulam, segundo os administradores, as caronas solidárias de forma organizada e segura. “O espaço criado nas redes sociais surgiu exatamente para aproximar quem tem carro e costuma ir para universidade sozinho e aquelas pessoas que fazem uso de transporte público.

A ideia é que elas se conheçam, interajam e negociem caronas entre si. No entanto, o diferencial é uma maior segurança para quem recebe e oferece a carona porque todos que fazem parte foram indicados por algum amigo que já estava no grupo.

Não é uma pessoa completamente desconhecida”, diz Francielle. Outra questão destacada pela administradora do ‘Caronas Ufal’ é a liberdade na organização das viagens solidárias, já que cada pessoa tem rotina diferente na universidade.

“Com isso, a ideia é que as pessoas negociem as caronas a qualquer momento diante da disponibilidade de horários. Não tendo a necessidade de acordos fixos.

Tanto que em determinados casos pode até haver a divisão dos custos de combustíveis”, completa Francielle. Renata Braga (à direita) compartilha viagens para universidade através do grupo (  (Foto: Arquivo Pessoal / Renata Braga )Caronas segurasIntegrada ao grupo recentemente, a estudante Renata Braga aderiu e aprovou a ideia de compartilhar viagens.

Ela assume os dois papéis, oferecendo ou recebendo caronas. “Possuo carro, mas já andei muito de ônibus, viajando inclusive para Ufal, e sei o quanto o serviço de transporte público é ruim em Maceió.

Antes mesmo de participar do grupo já tinha estabelecido com uma amiga um sistema de revezamento de carro. Algo que fazemos tanto por questões econômicas como por conforto.

Como costumamos ir com vaga no carro para Ufal e não nos incomoda oferecer e receber caronas, encontramos no grupo uma forma mais segura de compartilhar viagens”, conta Renata. Placa da Carona da Amizade que existe na Ufalestá deteriorada (Foto: Waldson Costa/G1)Carona da AmizadeCom seis pessoas administrando o grupo “Caronas Ufal”, a pretensão dos organizadores da iniciativa, que incorporou ainda os integrantes do grupo “Caroneiros Ufal”, criado em 2015, é ampliar a proposta junto à Reitoria.

Eles querem que os gestores da Ufal revitalizem o espaço onde há uma placa da ‘Carona da Amizade’, que fica na saída do campus, transformando o local em uma pequena praça que possa abrigar os caroneiros com conforto. Além disso, outra expectativa do grupo para facilitar a comunicação dos interessados em caronas é formatar um aplicativo específico que possa ser usado no celular.

Algo que facilitaria a negociação da viagem solidária diante dos horários e trajetos de cada um dos estudantes, servidores e professores adeptos.
.