Movimento de greve ocupou parte de rua no Centro de Macapá (Foto: Abinoan Santiago/G1)
Parte da Avenida Presidente Vargas, no Centro de Macapá, foi parcialmente ocupada pelo movimento de greve da Universidade Estadual do Amapá (Ueap) na manhã desta segunda-feira (16).
O ato reuni estudantes, técnicos e professores da instituição, que aguardam o fim da reunião no Palácio do Setentrião entre o governo do estado e acadêmicos sobre a ocupação do prédio do campus I, ocorrida desde 4 de maio.
A greve foi deflagrada em 17 de março e cobra o repasse à Ueap de 2% do arrecadado com o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), melhoria da estrutura dos cursos e o plano de cargos e salários do corpo técnico.

Caixão foi colocado no meio da rua em frenteà universidade (Foto: Abinoan Santiago/G1)
“A gente não pretende ceder porque o governo também não dá indício do repasse dos 2%, que é uma luta legítima do movimento da universidade. Se é um direito, temos que ter isso garantido.

A Ueap precisa desse dinheiro tanto para a estrutura quanto para o ensino e extensão”, disse o acadêmico Jefferson Cardoso, de 26 anos, membro do movimento estudantil.
O diretor geral do Sindicato dos Professores da Ueap (Sindueap), Daímio Brito, diz que desde quando a greve começou o governo reuniu apenas uma vez com a categoria.

“Nossa negociação parou. Fizemos apenas uma rodada com o governo e nada mais.

Queremos apenas terminar o plano de carreira porque entendemos que o estado está em crise. Pedimos a aprovação para depois conversar sobre ele, além, é claro dos 2% do ICMS para melhorar a estrutura da Uepa, que atualmente está sem orçamento”, reclamou.

Até esta publicação, o governo do Amapá não se manifestou em relação às reivindicações. Em nota enviada ao G1 ainda em março, o estado informou que o repasse ocorre por meio da execução da folha de pagamento da universidade, efetuada pelo tesouro estadual e que no mês de março, o Estado arrecadou pouco mais de R$ 48 milhões em ICMS.

Greve ocupa prédio da Ueap desde o início de maio (Foto: Abinoan Santiago/G1)
.