Alunos promovem assembleia e decidem ocupar a Escola Adauto Bezerra, em Fortaleza (Foto: Reprodução/Facebook/Ocupa Adauto)
Estudantes da Escola de Ensino Médio Adauto Bezerra, em Fortaleza, ocuparam a instituição na noite desta quarta-feira (4). A decisão foi confirmada em uma assembleia dos próprios alunos, que se dividiram em comissões e organizam um calendário de manifestações. Essa é a quinta escola pública ocupada no Ceará em uma semana.

Seduc diz que está aberta a negociação. Aluna do 3º ano, Juliana Andressa, conta como foi a organização do protesto.

Os estudantes se convocaram para a assembleia, que teve início no fim da tarde e seguiu até 19h, com a presença de cerca de 150 alunos. Eles finalizaram com a determinação de ocupar a escola.

Uma comissão de mais de 20 alunos foi formada para o pernoite. Alunos do Adauto Bezerra formaram umacomissão para passar a noite na escola(Foto: Reprodução/Facebook/Ocupa Adauto)
O ato dos estudantes, entre outras pautas, é também de apoio à greve dos professores da Rede Estadual de Ensino, iniciada em 20 de abril.

Eles também reivindicam aumento da verba para merenda escolar (atualmente de R$ 0,31 centavos por aluno); revogação da portaria de lotação (PL 1169/15); passe-livre para estudantes no sistema de transporte público; aumento de verbas para projetos pedagógicos e culturais; e estudo das questões de gênero na grade curricular. A escola, por exemplo, já dispõe de um núcleo de gênero desde o início do ano.

A aluna do 3º ano Juliana Andressa, 16, lembra que a ocupação já estava planejada há duas semanas. “A gente só não estava preparado ainda, precisava conscientizar os próprios alunos sobre por que ocupar”, conta, acrescentando que eles estão em contato com estudantes das outras escolas ocupadas e contam com apoio de ex-alunos do Adauto, pais, professores e direção.

Eles articulam arrecadação de doações de alimentos, produtos de higiene e limpeza. “A gente segue em organização, vai fazendo calendário de aula, atividades extra.

Sou monitora de biologia e química, e outros monitores também estão preparando aulas”, reforçou. O diretor da escola, Otacílio Bessa, explicou que a direção acompanha esse processo.

“O mesmo cuidado que temos quando eles estão em sala, estudando, estamos tendo agora”, disse. Ele informou que, ao longo do dia, estão previstos aulões e atividades lúdicas, organizados pelos próprios alunos.

Além disso, um grupo de 40 alunos da escola deve participar da manifestação na Assembleia Legislativa do Ceará pelo Plano Estadual da Educação, cuja votação está agendada para esta quinta-feira (5). OcupaçõesA primeira escola ocupada foi o Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (Caic) Maria Alves Carioca, no Bairro Bom Jardim, em Fortaleza, na última quinta-feira (28).

Além desta, foram ocupadas outras duas escolas em Fortaleza (EEFM João Mattos, no Bairro Montese; e Colégio Castelo Branco) e uma em Juazeiro do Norte (EEFM Presidente Geisel). DiálogoA Secretaria da Educação do Ceará (Seduc), em nota, reforça que está aberta ao diálogo com professores e alunos.

“A Seduc não impedirá o acesso de alunos à escola desde que haja respeito ao patrimônio. De acordo com o Código Civil, os pais são responsáveis legais por quaisquer atos de seus filhos”, disse.

.