O vereador de Curitiba Pastor Valdemir Soares (PRB), acusado por uma colega de votar em nome dela em uma sessão da Câmara Municipal de Curitiba, anuncia sua renúncia do cargo. ‘Saio tranquilo. Tendo a certeza que saio porque quero continuar honesto’ (Foto: Joka Madruga/Futura Press/Estadão Conteúdo)
O ex-vereador de Curitiba, Pastor Valdemir Soares (PRB), foi fazer uma “viagem missionária” ao Norte do Brasil.

O político, ligado à Igreja Universal do Reino de Deus, foi flagrado pelas câmeras de segurança da Câmara de Vereadores votando no lugar da colega Julieta Reis (DEM). Após a repercussão do caso, ele renunciou ao mandato.

Em entrevista ao G1, o ex-vereador disse que está no Amazonas, a pedido da igreja. “Estou fazendo uma viagem missionária pelo Norte”, afirmou.

O ex-parlamentar disse que não tem prazo para retornar à Curitiba. “Em questão de eleição ainda é cedo para decidir, em virtude dos compromissos da igreja”, completou.

No dia 22 deste mês, quando viajou com a família, Soares postou uma mensagem nas redes sociais, explicando a missão religiosa. “Hoje às 5h da manhã partimos para uma nova missão na obra de Deus, estamos indo para região norte do país, vamos ganhar almas e ajudar famílias no Amazonas! Aos amigos e eleitores , obrigado por todo amor, apoio e carinho que temos de vcs diariamente! Nos vemos em breve nessa obra ! ‪#‎ValdemirSoares‬”, dizia a mensagem.

Voto suspeitoO flagrante aconteceu no dia 31 de março. Naquela seção, os vereadores votavam sobre um projeto de lei que abonaria as faltas de professores municipais que entraram em greve.

Julieta Reis não estava na Câmara quando a votação começou, mas o voto dela, aprovando a iniciativa, foi computado.
Imagens das câmeras de segurança mostramo momento em que Valdemir Soares se levanta da cadeira que ocupava no Plenário.

Em seguida, ele olha para os lados, dá alguns passos e, aparentemente, aperta o botão de voto que fica no lugar que deveria ser ocupado por Julieta Reis. As imagens foram obtidas com exclusividade pela RPC, que divulgou o vídeo no dia 4 deste mês.

No dia seguinte à divulgação das imagens, Soares não apareceu na Câmara para comentar o caso. À noite, nas redes sociais, ele afirmou sobre a disposição de renunciar ao cargo.

No dia 6 de abril, ele deixou o mandato. Na tribuna da Câmara, ele ainda explicou os motivos da saída.

“Saio tranquilo. Tendo a certeza que saio porque quero continuar honesto”, declarou o vereador.

.