Banda formada por alunos do curso foi atração do evento (Foto: Carlos Alberto Jr/G1)
Um festival multicultural envolvendo música, artes plásticas, poesia e audiovisual testou as habilidades dos alunos do curso de organização de eventos culturais, do Senac Amapá. Uma programação nesta quinta-feira (14), marcou o encerramento das aulas, em Macapá.
A I Jornada Cultural contou com atrações que evideciaram o contexto folclórico amazônida.

O evento iniciou com uma programação infantil, onde foram realizadas palestras e atividades literárias, destacando o imaginário da criança.
A pequena Joana Silva, de 8 anos, não conhecia a lenda da sereia Iara, encantada, ela diz que a personagem deveria ser uma princesa da Disney.

“A Iara é muito bonita e canta bem, ela deveria ser famosa como as princesas da Disney”, brincou.
No segundo momento, oficinas com ritmos regionais, de instrumentos musicais e exibições de curtas aconteceram em uma sala de lazer.

Simultaneamente, bandas formadas pelos próprios alunos do curso e um grupo de poesia completaram a programação da jornada. Orientadora e alunos em evento que marcou aformação da turma (Foto: Carlos Alberto Jr/G1)
A orientadora do curso Gabriela Dias, conta que a iniciativa foi muito importante, não só na formação individual dos alunos, mas também para a fomentação da cultura amapaense.

“No Amapá, os agentes culturais são vistos como amadores, e em muitos dos casos, isso é uma verdade. O curso visa a formação de quem quer, de fato, fomentar a cultura local”, contou.

De acordo com Gabriela, alguns dos problemas mais comuns é a escassez de projetos culturais aprovados em editais voltados para a cultura. “No curso, os alunos aprenderam a elaborar projetos e aplicaram isso na prática com essa jornada”, completou.

O projeto para a jornada foi elaborado pelos alunos no decorrer do curso. Ian Mateus, de 18 anos, comemora a realização do evento.

“Ocorreu tudo de acordo como planejamos”, disse empolgado.
“Esse projeto quer resgatar a cultura amapaense, mas sem deixar de nos atualizarmos.

Por isso, oferecemos oficinas de marabaixo e batuque, ao mesmo tempo em que uma banda de rock se apresentou”, finalizou Mateus. Documentários com temas regionais foram apresentados no evento (Foto: Carlos Alberto Jr/G1)
.