Filhos prestaram homenagens nos cemitérios de Macapá (Foto: Jéssica Alves/G1)
Centenas de amapaenses visitaram os cemitérios da capital na manhã deste domingo (8) para prestar homenagens neste Dia das Mães. Com velas, flores, orações e lembranças, muitos aproveitaram o momento para celebrar e lembrar a presença das mães. A movimentação foi grande nos três cemitérios da cidade.

Edson Canuto homenageou a mãe que morreu háseis anos (Foto: Jéssica Alves/G1)
Flores foram espalhadas nos túmulos, que também receberam limpeza, e velas foram acesas, como gesto de amor para a aquelas que já não estão mais presentes. O professor Edson Canuto, de 56 anos, disse todos os anos visita o túmulo onde a mãe está enterrada há cerca de 6 anos, no cemitério Nossa Senhora da Conceição, localizado Centro de Macapá.

“Ajudei a construir junto com a minha mãe este espaço, que recebe outros membros da minha família. Este é um costume obrigatório, especialmente no Dia das Mães, pois ela que cuidou, se dedicou e sou eternamente grato por tudo que ela me proporcionou”, disse, emocionado.

A fisioterapeuta Lana Costa, de 42 anos, passa o primeiro Dia das Mães sem a mãe Lucimar, que morreu em 2015. Ela diz que a oração na frente do túmulo, localizado no Centro de Macapá, é uma forma de expressar a saudade deixada.

Irmãos Natalina e Edson lembram bonsmomentos com a mãe (Foto: Jéssica Alves/G1)
“Sempre oro para sempre lembrar de nossos antepassados. Hoje presto minha homenagem à minha mãe.

É um momento muito forte, pois ela foi uma mulher guerreira, feliz e honesta e eternamente lembrarei com saudade e carinho”, comentou.
Passar o Dia das Mães no cemitério São José, no bairro Buritizal, Zona Sul da capital, ainda não é fácil para os irmãos Natalina Souza, de 52 anos, e Edilson Souza, de 56 anos, ambos professores da rede pública estadual do Amapá.

Juntamente com o sobrinho Paulo Souza, de 26 anos, eles prestaram homenagens às mães, emocionados.
“Esta data de hoje não é fácil de expressar o que sentimos.

É momento de lembrar as coisas boas que ela nos ensinou. A saudade é imensa e quero agradecer a Deus por seguirmos nossa jornada e repassar os bons costumes aos nossos filhos”, falou Natalina.

O professor considera este um momento muito importante para a família. “No Dia das Mães, digo que podemos voltar no tempo e lembrar tudo de bom que passamos ao lado dela.

Hoje é dia de homenagear e agradecer”, completou.
.