Bombeiros controlam chamas no Bairro Novo Elderado, em Oliveira (Foto: Marcelo Praxedes/Divulgação)O Corpo de Bombeiros de Oliveira foi acionado na manhã desta terça-feira (19) para conter um incêndio em uma pastagem de vegetação rasteira, no Bairro Novo Eldorado, próximo à Escola Municipal Cristo Redentor. Os militares informaram que o fogo destruiu mais de três mil metros quadrados da vegetação, que estava bem seca. Ainda segundo os militares, há mais de duas semanas não chove na cidade.

Os militares levaram 40 minutos para extinguir o foco de incêndio. Dois militares, com a ajuda dos moradores locais, trabalharam no combate.

Eles usaram três mil litros de água para combater as chamas e ainda abafadores. “Não se sabe até o momento quais são as causas do incêndio”, disse o cabo Thiago Resende de Almeida.

PelotãoO pelotão em Oliveira é composto por cerca de 40 bombeiros. Por dia, trabalham sete nas ruas.

São três veículos que dão suporte no combate ao fogo. Apenas um é equipado com mangueiras.

Neste caso, quando não precisa usar água eles utilizam abafadores.
“Em casos de lotes com fogo mais baixo, ou uma fazenda e um sítio mais distante, utilizamos os veículos sem mangueiras porque não podemos retirar o caminhão equipado da cidade, pois ele precisa estar disponível em casos mais graves na região urbana”, destacou o tenente Júlio César.

O Corpo de Bombeiros não soube informar quantos chamados relacionados a incêndio foram registrados até o momento neste ano. “Mas podemos afirmar que agora que eles estão começando a aparecer.

Ainda não contabilizamos o número de acionamentos”, disse o cabo Almeida. Corpo de Bombeiros gastou mais de três mil litros de água no combate às chamas (Foto: Marcelo Praxedes/Divulgação)Problemas de saúdeSegundo o médico Flávio Antônio Marcelino Alves, em tempos secos e com propensão a incêndios, pessoas com doenças respiratórias não conseguem respirar normalmente e até quem não tem doença nenhuma pode desenvolver.

“O que ocorre é que aumenta o número poluentes na fumaça e considerando a umidade baixa a poeira fica no ar e quem sofre principalmente são idosos e crianças. O frio somado à baixa umidade do ar e a uma maior concentração dos poluentes colaboram para doenças como infecções alérgicas, asma, renite e sinusite.

Quem tem ainda doenças respiratórias crônicas a situação pode agravar”, explicou.
O médico também informou que o organismo humano tem o funcionamento alterado com as baixas temperaturas, por isso a maioria sofre com as doenças de inverno.

Além disso, a baixa umidade no ar compromete o sistema imunológico. Tempo seco e quente em OliveiraDe acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o tempo no Centro-Oeste permanece estável sem possibilidade de chuva, em virtude de uma massa de ar seco que atua sobre grande parte do país.

Por isso, o temo é estável sem previsão de chuvas para os próximos dias. “A umidade do ar está na casa dos 30% e 70%”, destacou o meteorologista, Cléber Souza, que disse também que nesta terça-feira (19) a máxima para o município é de 30º e a mínima é de 15º.

.