Em meio às discussões na Câmara Municipal de Curitiba sobre o projeto de lei que pretende multar as pessoas que entram nos ônibus da cidade sem pagar a tarifa, o sindicato das empresas concessionárias do transporte coletivo divulgou levantamento que aponta prejuízo anual de R$ 4,5 milhões com as invasões.
O projeto estava pautado para votação nesta segunda-feira (9), mas, como os vereadores não terminaram a votação no tempo previsto da sessão, que é de três horas, a discussão do projeto continuará na sessão de terça (10). Se for aprovada, a medida poderá punir os infratores com multa de R$ 185,00, que poderá dobrar em caso de reincidência.

O levantamento feito pelas empresas no mês de março mostra que houve aumento de 18% na ação dos chamados “fura-catracas” em relação à última pesquisa, em novembro de 2015. Os dados mostram que a média de passageiros que embarcam sem pagar passagem é de 3.

831 por dia.
A pesquisa mostra que a estação-tubo Rio Barigui, próxima ao Park Shopping Barigui, chegou a registrar mais invasões (640) do que passageiros pagantes (526) nos sete dias pesquisados.

A estação com o maior número de invasões, no entanto, foi a Praça Carlos Gomes, no sentido Terminal do Boqueirão, com média de 250 infrações por dia.
Em uma tipologia determinada pela pesquisa, os infratores foram classificados e ranqueados nas seguintes categorias: usuários comuns (32%), gangues/tribos urbanas (22%), estudantes (19%), torcedores (6%) e outros (21%).

Quer saber mais notícias do estado? Acesse o G1 Paraná. Projeto seria votado em primeira discussão nesta segunda-feira (9) (Foto: Divulgação/Câmara de Curitiba)
.