Hospital atende a 100 pessoas, diariamente (Foto: AEN/Divulgação)
O governo estadual autorizou, nesta terça-feira (19), a nomeação imediata de 138 servidores para o Hospital Universitário (HU) da Universidade Estadual de Maringá (UEM). O comunicado foi feito pelo secretário estadual da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), João Carlos Gomes.
A medida é tentativa para aliviar a superlotação do hospital, justifica o governo.

O problema é especialmente no pronto-atendimento, problemático há anos na UEM e em outros HUs de universidades estaduais paranaenses.
O aumento da demanda também ocorreu por causa da reforma de amplicação do HU de Maringá – o hospital ganhou 27 novos leitos em março deste ano.

Agora, tem 150 leitos. No entanto, para o reitor da UEM, Mauro Baesso, seriam necessários 500 leitos para atender à demanda da região.

Basse diz que tem contratado profissionais temporários para suprir o quadro defasado, mas isso “não é o ideal, porque esses recursos acabam fazendo falta para outros fins, como compra de medicamentos”.
O pronto-atendimento do HU atende, diariamente, mais de 100 pessoas.

Para este ano, está prevista a abertura de mais 100 leitos de retaguarda, segundo o governo. As obras tiveram início na semana passada e devem ser concluídas em cerca de um ano e meio, no valor orçado de R$ 14 milhões, oriundos da Secretaria de Saúde do Estado.

.