Alunos, professores e técnicos reunidos com o governador (Foto: Ascon/Governo do Estado)Depois de voltar a ocupar nesta quinta-feira (12) o Palácio de Karnak, Centro de Teresina, alunos e professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) foram recebidos pelo governador Wellington Dias (PT). Segundo representantes do grupo, as partes não entraram em um acordo e a greve continuará. Eles estavam acampados no local desde o início da manhã e reivindica melhorias para Uespi, além benefícios para os docentes.

Estudantes pularam as grades do Palácio deKarnak duante protesto (Foto: Gustavo Almeida/G1)
De acordo com o Josinaldo Oliveira, vice-presidente da Associação dos Docentes do Ensino Superior da Uespi (Adcesp), o governador não quer negociar os débitos anteriores com os professores e técnicos, além de não dar a garantia para os estudantes do aumento na quantidade de bolsas, auxílio alimentação, moradia e monitoria remunerada. Já segundo do secretário de Fazenda do Piauí, Franzé Silva, o governo se comprometeu a fazer as promoções dos professores em duas parcelas encerrando em outubro de 2016 e fazer uma alteração dos técnicos operacionais.

Com o impasse, a greve dos professores e técnicos continuará, segundo a Adcesp. Esta é a segunda vez que o palácio foi ocupado pelo grupo.

Os professores da Uespi estão em greve desde o dia 18 de abril, devido à falta de abertura de diálogo por parte do governo do estado para debater a campanha salarial. Já os técnicos administrativos, a principal reivindicação da categoria é a ausência de um plano de cargos e salários que possibilitem promoções e qualificações.

Vistoria na UespiApós professores e técnicos administrativos da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) cruzarem os braços, uma comissão de deputados estaduais vão iniciar na segunda-feira (16) vistorias nos campi da capital e interior. Segundo o deputado Luciano Nunes, o objetivo é avaliar de perto a falta de estrutura na instituição, em greve há mais de 20 dias.

“A Uespi vive hoje um momento difícil da sua história, com os servidores em greve e várias manifestações dos alunos denunciando a falta de infraestrutura e de materiais na instituição. Além disso, temos o descumprimento do plano de cargos e carreiras dos professores.

Tudo isso precisa ser analisado”, pontuou Luciano Nunes. Entenda o casoOs professores da Uespi estão em greve desde o dia 18 de abril, devido à falta de abertura de diálogo por parte do governo do estado para debater a campanha salarial.

Segundo a organização do movimento #SOSUespi, 100% dos campi no interior do estado estão parados.
Na quinta-feira (5), cerca de 200 estudantes e professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) realizaram um protesto em frente do Palácio de Karnak, no Centro de Teresina.

Durante o ato, eles chegaram pular as grades, invadir o palácio do governo e com gritos de ordem cobravam melhorias na estrutura e mais segurança nos campi.
.