Construção civil Foto: Reprodução/TV Integração)
O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) apresentou variação negativa em abril, ficando 0,28% abaixo da taxa de março no Amazonas. Os dados são calculados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com a CAIXA, e foram divulgados nesta sexta-feira (6).
Nos últimos 12 meses, a taxa no estado ficou em 6,78%.

Em abril de 2015 o índice foi de menos 0,11%.
O custo nacional da construção, por metro quadrado no país, que em março fechou em R$ 984,81, em abril subiu para R$ 989,37, sendo R$ 526,78 relativos aos materiais e R$ 462,59 à mão de obra.

O Amazonas fechou abril com o valor de R$ 994,32. Custo da construção civil no AM fecha março em queda, aponta IBGECusto da construção civil no AM caiu 0,2% em janeiro, aponta IBGEConstrução civil no AM registra queda de 5,91% em julho, aponta IBGEConstrução civil registra deflação de 6,15% em julho, aponta IBGECusto da construção cai 5,99% no Amazonas em maio, aponta IBGE
“A parcela dos materiais apresentou variação de 0,27%, ficando 0,08 ponto percentual abaixo da taxa de março (0,35%).

Já a parcela da mão de obra apresentou variação de 0,69%, caindo 0,66 ponto percentual em relação ao mês anterior (1,35%)”, informou o IBGEDe janeiro a abril, as taxas ficaram em 2,07% (materiais) e 3,40% (mão de obra), e os acumulados em doze meses ficaram em 4,88% (materiais) e 9,80% (mão de obra).
A região Nordeste, com 1,30%, ficou com a maior variação regional em abril.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,14% (Norte), 0,00% (Sudeste), 0,23% (Sul) e 0,47% (Centro-Oeste).
Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.

010,81 (Norte); R$ 924,25 (Nordeste); R$ 1. 026,93 (Sudeste); R$ 1.

020,59 (Sul) e R$ 993,31 (Centro-Oeste).
A Bahia foi o estado que apresentou a maior variação mensal (3,34%), decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo, seguida pela Paraíba (3,27%) e Sergipe (3,13%), também sob impacto de reajuste salarial.

.