A Justiça de Alagoas determinou na última segunda-feira (25), que a Força Nacional encaminhe novamente o inquérito sobre a morte do capitão da Polícia Militar Rodrigo Moreira Rodrigues, de 32 anos, que faleceu após ser ferido durante uma abordagem policial no começo deste mês, em Maceió. Segundo a Justiça, o documento estava incompleto e com páginas em branco. Capitão Rodrigo Rodrigues morreu ao chegar noHGE (Foto: Arquivo / Segurança Pública)
O inquérito policial foi encaminhado pelo delegado Felipe, da Força Nacional no dia 19 deste mês.

Como está incompleto, o juiz de direito Geraldo Amorim determinou que o documento, desta vez com todas as informações, seja remetido novamente no prazo de 24h.
Apesar do inquérito ter sido enviado à Justiça, não há informações do teor de seu conteúdo.

O delegado Felipe informou que um problema no sistema atrapalhou o envio completo do inquérito.
“O sistema não conseguiu carregar todas as fotos do inquérito e por isso ficou em branco.

Em relação ao conteúdo do inquérito, não tenho autorização para passar mais detalhes”, informou o delegado.
A reportagem do G1 tentou entrar em contato com o juiz Geraldo Amorim para saber sobre a conclusão do inquérito, mas não conseguiu.

O suspeito de ter matado o capitão está preso no Sistema Prisional. Ele foi identificado como Agnaldo Lopes de Vasconcelos, 49 anos.

 O casoSegundo informações da assessoria de comunicação da Segurança Pública, o capitão, que conduzia uma guarnição da Radiopatrulha no dia 9, foi baleado no pescoço durante uma ocorrência. Na ocasião, o militar tentava abordar um suspeito que estava em uma casa no bairro da Santa Amélia.

O militar ainda foi socorrido pela guarnição para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu ao ferimento. No dia 10, o sepultamento foi feito com honras militares no Cemitério Parque das Flores.

.