Provas do Enem 2016 serão aplicadas em novembro (Foto: Reprodução/TV Integração)
As inscrições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) começam na próxima segunda-feira (9). As provas serão nos dias 5 e 6 de novembro e a nota é um dos principais critérios, via Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para ingressar em Instituições de Ensino Superior. O G1 apurou com as universidades federais de Juiz de Fora, Viçosa e São João del Rei e com o Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste) sobre a importância da prova para conseguir vagas nessas instituições.

Os candidatos podem se inscrever até as 23h59 do dia 20 de maio. A taxa de inscrição subiu de R$ 65 para R$ 68 e poderá ser paga até as 21h59 do dia 25 de maio com uma Guia de Recolhimento da União (GRU).

O pagamento pode ser feito em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios. IF SudesteO Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste) tem cursos técnicos, de especialização e de graduação em oito cidades.

Entre elas, Juiz de Fora, Muriaé, Rio Pomba e Santos Dumont, na Zona da Mata, além de Barbacena e São João del Rei, no Campo das Vertentes.
De acordo com a assessoria, foram disponibilizadas 2.

521 vagas no processo seletivo para o segundo semestre. Metade das vagas de cada curso é preenchida através do Sisu, desde a criação do sistema em 2010.

Nos processos seletivos para ingresso no segundo semestre, o número de campi, vagas e cursos é menor. As inscrições para as 336 vagas estão abertas até 12 de maio.

A orientação do IF Sudeste é que, após o Enem, o candidato fique atento às chamadas do Sisu. As informações estão disponíveis no site da Comissão Permanente de Seleção.

Ao G1, a direção avalia de forma positiva o uso da nota do Enem como critério de seleção. “Permite que também concorram às vagas aqueles candidatos com dificuldades em comparecer às cidades dos nossos campi para a realização das provas.

A etapa é crucial no processo seletivo institucional, porém dispensável na seleção via Sisu. Além disso, ajuda-nos a obter comparativos e dados mais precisos, em relação a outras Instituições de Educação Superior (IES), já que se trata de uma avaliação única”, diz a nota.

 Juiz de Fora é um dos seis campi do IF Sudeste na Zona da Mata e Vertentes (Foto: IF Sudeste MG/Arquivo)UFVAté este ano, 15. 781 estudantes ingressaram na Universidade Federal de Viçosa (UFV) usando a nota do Enem, de acordo com a assessoria.

Em 2011, 20% das vagas foram ofertadas no Sisu. Entre 2012 e 2015, passou para 80% das vagas e, neste ano, todas as 3.

190 vagas anuais serão via Sisu. Até 2016, 15.

871 alunos ingressaram na UFV coma nota do Enem (Foto: Nathalie Guimarães/G1)
Atualmente a instituição oferece 67 cursos nos campi em Viçosa, Florestal e Rio Paranaíba. A UFV orienta que os candidatos conheçam o processo de correção das questões na preparação para o exame.

“Destacamos a complexidade que é construir um processo avaliativo com a natureza, objetivos e magnitude do Enem. Não temos tempo suficiente, utilizando deste processo seletivo, para uma avaliação, mas reconhecemos que ele é um bom processo avaliativo”, informou a instituição.

UFSJA Comissão Permanente de Vestibular (Copeve) da Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ) explicou que, além do ingresso via Sisu, o candidato pode usar a nota do Enem como primeira etapa no Processo Seletivo Simplificado para os cursos que demandam provas de habilidades específicas ou para Processo Seletivo por Transferência Externa e Admissão de Portadores de Diploma de Ensino Superior (Protap). A nota também é a etapa única para o Processo Seletivo Simplificado para os cursos de graduação na modalidade educação à distância.

Antes a universidade utilizava o Enem para compor as notas do vestibular. De 2010 a 2012, 10% das vagas do vestibular foram disponibilizadas para o Sisu, e os outros 90% ainda utilizavam as notas do Enem para compor o resultado final do Vestibular.

Até agora, 5. 874 alunos ingressaram na UFSJ viaSisu (Foto: Reprodução/ TV Integração)
A partir de 2013, a UFSJ aderiu totalmente ao Sisu e o vestibular tradicional deixou de existir.

Nos dois semestres de 2014 e 2015 e no primeiro semestre de 2016, 5. 874 alunos ingressaram por este sistema.

De acordo com a Copeve, atualmente a UFSJ oferece 1. 840 vagas para o primeiro semestre e 870 vagas para o segundo semestre para São João del Rei, Divinópolis, Ouro Branco e Sete Lagoas.

São selecionadas via Sisu 1. 770 das vagas do primeiro semestre e todas para o segundo semestre.

“As notas do Enem serão usadas via Sisu para a entrada no segundo semestre deste ano. As inscrições deverão ser no início de junho no site do MEC.

Os candidatos devem ficar atentos no cronograma do Sisu e da UFSJ para que não percam as datas das chamadas e matrículas, pois o Sisu faz somente a primeira chamada e a manifestação pela lista de espera. A partir da segunda chamada, somente no site da UFSJ”, lembrou o presidente da Comissão Permanente de Vestibular (Copeve), José Trindade da Silva.

UFJFDesde 2011, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) adota o Sisu, com base nos resultados obtidos pelos estudantes no Enem referente ao ano anterior, como parte do processo seletivo para 93 cursos nos campi em Juiz de Fora e Governador Valadares.
Segundo informações repassadas pela a Diretoria de Imagem Institucional, no primeiro semestre foram disponibilizadas mais de 300 vagas no campus Governador Valadares e mais de 1.

400 vagas no campus Juiz de Fora. No segundo semestre, serão mais de 240 em Governador Valadares e mais de 1.

000 em Juiz de Fora. Para o segundo semestre de 2016, mil vagas serão disponibilizadas para o Sisu, usando a nota do Enem (Foto: Twin Alvarenga UFJF/Divulgação)
Há cursos que oferecem 70% das vagas pelo Sisu e 30% pelo Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism) e há outros onde o percentual é até mesmo invertido.

Na média, metade dos alunos da instituição ingressa pelo Sisu.
“A UFJF avalia que o uso das notas tem constituído um bom e eficiente mecanismo de seleção para o ingresso no ensino superior.

Considerando os aspectos pedagógicos e logísticos envolvendo o Enem, entende-se que há processos e dinâmicas que podem ser ajustados, visando possíveis adequações regionais e locais”, informa a nota.
A orientação para os alunos é verificar quantas vagas são oferecidas para quais cursos e em qual período, porque varia por semestre.

A UFJF destacou ainda para os candidatos terem atenção à centralidade na leitura e escrita, porque as habilidades vinculadas a esses processos perpassam todas as áreas do conhecimento avaliadas na prova.
.