Um casal  de Fortaleza prejudicado por apagão durante festa de celebração do casamento devem receber, de indenização, R$ 61. 480,00 das companhias Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) e a Energética do Ceará (Coelce).
Em 3 de fevereiro de 2011, o casal recepcionava convidados em um buffet de Fortaleza, após a celebração do casamento ocorrido na mesma noite, quando aconteceu uma queda de energia.

Nos 184 municípios cearenses, 2,8 milhões  de consumidores ficaram sem luz durante o apagão. A decisão é da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Ceará.

Para o relator do processo, desembargador Francisco Gladyson Pontes, a falta de energia “não pode ser considerada mero aborrecimento, dando ensejo à reparação por danos morais e materiais”.
Na ação contra as duas companhias, os noivos alegaram que a falta de luz perdurou por quase duas horas, prejudicando o evento.

Também disseram que tiveram prejuízo com o buffet, banda de música, entre outros serviços contratados.
O G1 tentou ouvir as empresas envolvidas, mas as ligações não foram atendidas.

Cabe recurso da decisão. Na contestação na Justiça, a Coelce defendeu que o problema se deu por culpa da Chesf, pois o defeito ocorreu em linha de transmissão entre a Bahia e Pernambuco.

Já a Chesf sustentou que a falha ocorreu no sistema do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), e que não foi negligente em relação ao caso. ApagãoA pane que atingiu Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Ceará, Sergipe, Piauí e Rio Grande do Norte na noite do dia 3 e início da madrugada 4 de fevereiro de 2011.

A queda de energia ocorreu devido a uma falha no circuito eletrônico da subestação Luiz Gonzaga, no município de Jatobá, em Pernambuco, segundo disse, na ocasião, o então diretor de operações da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, Mozart Bandeira Arnaud. O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) confirmou a ocorrência de um problema em um componente da subestação Luiz Gonzaga, o que teria afetado o fornecimento em seis linhas de transmissão e três usinas.